O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, passou nesta semana por mais uma série de questionamentos a respeito do uso dos dados de usuários da rede social. A exemplo do que aconteceu nos Estados Unidos, o Parlamento Europeu cobrou mudanças devido ao recente escândalo de vazamento de informações no caso Cambridge Analytica. Agora a plataforma anuncia mudanças para se adequar às regras impostas pelo Regulamento Geral Sobre Proteção de Dados (RGPD), criado pela União Europeia.

“Agora emitimos um alerta no Feed de Notícias, para que as pessoas possam analisar os detalhes sobre publicidade, reconhecimento facial e informações que elas compartilharam em seu perfil. Introduzimos uma experiência semelhante na União Europeia como parte de nossa preparação para o RGPD e agora estamos disponibilizando-a em todo o mundo”, explica Erin Egan, chefe do Escritório de Privacidade.

facebook

Como exemplo, Egan afirma que o software será mais claro sobre as configurações que foram alteradas ou estão ativadas. “As pessoas verão um resumo das escolhas que já fizeram e não verão informações sobre recursos que já desativaram ou decidiram não usar. Se você já desativou o reconhecimento de rosto ou anúncios com base em dados de parceiros, não pedimos que você os ative.”

Além dessas alterações, o Facebook promete mais transparência e atualizações às políticas de privacidade em breve, nos próximos meses.

Cupons de desconto TecMundo: