Achou que a vida do Facebook não poderia ficar mais complicada depois do gigantesco “vazamento” de dados do Cambridge Analytica? Pois uma nova descoberta promete aumentar ainda mais as polêmicas envolvendo a rede social: aparentemente, a empresa também coleta os metadados de suas ligações e até de suas mensagens SMS em aparelhos Android – e isso há alguns bons anos.

Tudo começou quando o desenvolvedor Dylan McKay resolveu checar um arquivo com os dados que o Facebook havia coletado sobre ele. Foi então que ele notou que quase dois anos de informações de ligações feitas em seu aparelho Android, com direito a nomes, números de telefone e tamanho das ligações, estavam armazenadas nos dados da companhia:

“Baixei meus dados do Facebook como um arquivo ZIP

De alguma forma ele tem todo o hisórico de chamadas com a mãe do meu parceiro”

O tweet acima feito por McKay, por sua vez, levou a uma investigação por parte de Sean Gallagher, do site Ars Technica, que encontrou os mesmos tipos de dados em seus registros, com a adição de metadados de mensagens SMS e MMS de um aparelho Android usado por ele de 2015 a 2016.

Coletar dados? Jamais

Diante de tudo isso, Gallagher tratou de contatar o Facebook em busca de um parecer, ao que a rede social disse não haver muito com que nos preocuparmos: a empresa apenas coletava dados de seus contatos para ajudá-lo a encontrar seus amigos no serviço.

“A parte mais importante de apps e serviços que ajudam você a fazer conexões é tornar fácil encontrar as pessoas com quem você quer se conectar. Então, a primeira vez que você entra no seu celular para um app de mensagem ou social, é uma prática comumente usada começar fazendo o upload de seus contatos de celular”, declarou um porta-voz.

Além disso, a companhia ainda lembrou que o upload desses dados é opcional e que a instalação do app deixa o pedido de acesso aos seus contatos bastante explícito. Isso sem falar, claro, no dato de você poder deletar seus dados de contatos usando uma ferramenta disponível na versão web do aplicativo.

A primeira vez que você entra no seu celular para um app de mensagem ou social, é uma prática comum começar fazendo o upload de seus contatos de celular

Infelizmente, o caso não está nem longe de encerrado. O problema é que, embora o serviço atualmente funcione dessa maneira, permitir o acesso aos seus contatos em versões mais antigas da API do Android – usada antes do Android 4.0, mais especificamente – também dava a eles seus registros de chamadas e mensagens por padrão.

A boa notícia é que isso foi alterado já no Android 4.1 Jelly Bean. No entanto, até outubro de 2017 (período em que a versão 4.0 da API do Android foi descartada de vez pela Google), um aplicativo poderia ser facilmente especificado como usando essa antiga versão do SDK para continuar tendo acesso aos seus metadados. Curiosamente, essa data é a mesma em que os registros mais recentes de ligações e mensagens do Facebook chegam.

Resumindo: mesmo se você não aceitou entregar seus dados na versão mais recente do Android, provavelmente já o fez nas versões mais antigas do aplicativo.

Opcional, mas nem tanto

Quanto à possibilidade de deletar seus dados citada pela empresa? Bem, os testes feitos por Gallagher não foram nada animadores, visto que suas informações continuavam listadas mesmo dois dias após o envio do pedido para que seus dados fossem deletados.

O Facebook, por sua vez, trouxe mais uma resposta diante das acusações – dessa vez, na forma de uma “checagem de fatos”. Em seu post, a empresa reforça o fato de que a opção de ceder seu histórico de ligações e mensagens é uma função opcional que pode ser desativada acessando suas opções na rede social (o que também resultaria em ter esses dados apagados).

Em retaliação, McKay revelou ao Ars que, embora tenha removido e instalado o Messenger várias vezes desde 2015, ele sempre se certificou de permitir apenas o que era necessário para a instalação, sem dar qualquer permissão para a leitura de seus dados de SMS e ligações. Até onde os registros de suas ligações vão? Nada menos do que julho de 2017. Vale notar que Gallagher obteve resultados semelhantes ao analisar seus próprios dados.

É importante frisar, por fim, que o Facebook também disse que não vende seus dados para terceiros, mantendo-os guardados em segurança. No entanto, visto que a empresa está passando uma de suas piores polêmicas da história justamente por não cuidar de nossos dados como desejamos, é difícil conseguir acreditar que seja como eles dizem.

Cupons de desconto TecMundo: