O Twitter se envolveu em uma situação bastante complicada nos últimos dias. Isso porque dois de seus engenheiros aparecerem em imagens feitas com uma câmera escondida afirmando que funcionários da empresa têm acesso às mensagens diretas (DMs) trocadas pela rede.

O vídeo feito por James O’Keefe para o Project Veritas e mostra o engenheiro sênior de segurança de rede Clay Haynes e o engenheiro de mensagens diretas Pranay Singh. “Há equipes dedicadas a isso”, informa Haynes. “Pelo menos 300 ou 400 pessoas”, complementa, indicando uma situação bastante dramática. “Então, todas as suas mensagens sexuais, tipo os nudes, estão agora em meu servidor”, completou Singh.

Twitter nega parcialmente

As preocupantes declarações dos engenheiros do Twitter fizeram a empresa ir à público negar parcialmente as acusações. “Nós não revisamos as DMs de forma ativa. Ponto”, informou a companhia. “Um número limitado de empregados têm acesso a esse tipo de informação, para propósitos legítimos de trabalho, e nós aplicamos protocolos estritos de acesso a eles.”

Em suma, o Twitter não disse que ninguém lê as suas mensagens supostamente privadas, mas que apenas um número bastante limitado de funcionários faz isso. Um ex-funcionário da empresa consultado pelo BuzzFeed afirmou que esse tipo de acesso só acontece em casos específicos, como aqueles em que alguém denúncia um assédio sofrido via DM.

Além disso, ele confirmou que o número de engenheiro com acesso às mensagens diretas é “bem pequeno” e opinou também que o vídeo do Project Veritas “é tecnicamente apurado em um certo grau”, mas teria sido “exagerado por idiotas bêbados.”