Um serial killer de nome Takahiro Shiraishi, de 27 anos, foi recentemente preso no Japão após supostamente matar e desmembrar um total de nove pessoas, atraindo cidadãos que expressaram pensamentos suicidas. Sua “arma” para conseguir novas vítimas? O Twitter.

O bizarro caso, segundo o jornal CBS News, ocorreu no começo de novembro, quando a polícia japonesa estava em busca de uma mulher de 23 anos recentemente desaparecida. Após seguirem pistas de alguns tweets trocados entre ela e Shiraishi – estes mostrando que a vítima procurava alguém para ajudá-la em um pacto suicida para não morrer sozinha – os investigadores chegaram à casa do assassino, onde encontraram oito corpos femininos e um masculino desmembrados e guardados em armazenamento resfriado.

Embora a polícia japonesa ainda mantenha boa parte das informações do caso em segredo, mídias locais indicam que Shiraishi admitiu ter cometido os crimes. Segundo ele, seus motivos para tais atos eram o dinheiro e o abuso sexual; já para conseguir suas vítimas, o serial killer entrava em contato com pessoas que enviaram comentários suicidas e oferecia ajudá-las a cometer o ato em si.

Para conseguir suas vítimas, Takahiro Shiraishi ofereceu ajudar pessoas que enviaram comentários suicidas a cometer o ato em si

Em resposta a tudo isso, Jack Dorsey, ninguém menos do que o fundador da rede social, afirmou ao NHK estar “extremamente triste” com o ocorrido. No entanto, ele também descartou a possibilidade de que o Twitter comece a descartar tweets com teor semelhante.

Vale notar, por fim, que desde o ocorrido o Twitter mudou suas regras com relação a comentários que encorajem automutilação ou suicídio. Muitos, no entanto, insistem que medidas mais severas sejam implementadas para evitar novos casos como esse.

Cupons de desconto TecMundo: