Os casos de abuso e assédio sexual praticados por Harvey Weinstein em Hollywood trouxeram alguns desdobramentos inesperados. O destaque nesse sentido foi o caso da conta no Twitter da atriz Rose McGowan, que foi suspensa após ela publicar uma série de relatos sobre as práticas abusivas de um dos produtores de cinema mais poderosos dos Estados Unidos.

Depois de uma ameaça de boicote do público, o Twitter se posicionou oficialmente sobre o caso e prometeu rever as suas diretrizes para combater abusos dentro da plataforma. Ainda ontem (17), vazaram na web as novas políticas da rede social — elas estavam em um email direcionado à equipe de segurança do site que foi obtido pela Wired.

O conteúdo da mensagem mostra que as novas regras estão organizadas em medidas revistas e em novas ditrizes do Twitter em relação ao combate ao assédio e ao discurso de ódio dentro da plataforma.

Medidas revistas

Duas categorias de abuso foram revistas pelo Twitter. A primeira delas trata de nudez não consensual, ou seja, sobre a publicação de fotos íntimas sem autorização da pessoa exibida na imagem:

  • Como era – Até então, o Twitter tratava o autor da postagem original da mesma forma que alguém que compartilhava a imagem de forma inadvertida, sem saber que se tratava de um “nude ilegal”. Em ambos os casos, a plataforma solicitava a remoção do conteúdo e bloqueava os perfis de forma temporária. Em caso de reincidência, a conta era suspensa permanentemente.
  • Como é agora – Os perfis identificados como origem da postagem agora são suspensos de maneira imediata e permanente. O mesmo acontece quando esse tipo de conteúdo é postado intencionalmente para assediar ou ameaçar alguém. Além disso, a equipe de segurança do Twitter verificará contas denunciadas, podendo desativá-las permanentemente se ficar comprovada uma violação.

A outra categoria revista trata de avanços sexuais indesejados dentro da plataforma:

  • Como era – O Twitter geralmente permitia a publicação de pornografia e linguagem erótica na rede, agindo apenas no caso de uma denúncia por parte de alguém envolvido na conversa.
  • Como é agora – A rede atualizou os termos de uso para deixar claro que esse tipo de comportamento é inaceitável e passa a levar em conta também sinais como silenciar ou bloquear uma conta depois desse tipo de conversa para determinar se ela é indesejada.

Novas medidas

Ao todo, três novas medidas foram incluídas nas diretrizes do Twitter. São elas:

  • Imagens e símbolos de ódio – Uma definição exata sobre o escopo dessa política ainda está pendente, mas o Twitter afirma que, em último caso, qualquer imagem ou símbolo que expresse ódio será considerado “mídia sensível”, da mesma forma como já acontece com conteúdos adultos e violência gráfica.
  • Grupos violentos – De forma semelhante à medida anterior, esta também não traz o seu escopo definitivo, mas trata de forma genérica de ações para coibir a ação de “organizações que usam ou usaram historicamente a violência como meio de avançar em sua causa”.
  • Tweets que glorificam a violência – Atualmente, o Twitter já combate mensagens que contêm ameaças (diretas ou vagas); agora, porém, a medida será ampliada para postagens cujo conteúdo glorifique ou justifique ações violentas — “Bendito seja esse atirador, ele é um herói” ou “Matar faz sentido, é uma maneira de poupar os serviços sociais”, por exemplo.

O Twitter promete dar mais detalhes sobre essas três novas medidas em breve.

Sobre o vazamento antes da hora

Aparentemente, o Twitter não se importou com o vazamento de suas novas diretrizes antes da hora. “Apesar de termos planejado compartilhar essas atualizações no final desta semana, esperamos que nossa abordagem e futuras mudanças, bem como a colaboração com o Conselho de Confiança e Segurança, mostrem quão sérias são as reformulações de nossas regras, quão rapidamente nós atualizamos as nossas políticas e como as aplicaremos”, declarou um representante da plataforma.

Cupons de desconto TecMundo: