Facebook quer entrar em sua casa com hardwares inteligentes [rumor]

1 min de leitura
Imagem de: Facebook quer entrar em sua casa com hardwares inteligentes [rumor]
Fonte: Amazon
Avatar do autor

Novos relatos trazidos pelo Business Insider indicam que o Facebook e sua divisão Building 8 estão se preparando para criar novos produtos físicos para seus consumidores. Os projetos são liderados por Andrew Bosworth, um dos maiores figurões da companhia, e já estão em andamento pela empresa.

O primeiro dos dispositivos seria um aparelho feito para chamadas de vídeo, semelhante ao Amazon Echo Show, e tem o codinome “Aloha”. Esse gadget deve contar com uma tela de toque grande, uma câmera de ampla angulação capaz de reconhecer rostos, microfones e alto-falantes. O eletrônico, vale notar, já estaria em testes nas casas de funcionários da companhia há vários meses e deve ser lançado em maio de 2018 por US$ 499 (R$ 1,5 mil).

Quanto ao segundo dispositivo? Bem, temos um sistema de alto-falante inteligente, que deve chegar às lojas custando em torno de US$ 100 (R$ 315). Não limitada a isso, a empresa também estaria trabalhando em uma câmera em 360° e até mesmo em alguns vestíveis.

O problema da privacidade

Para muitos, a novidade é bastante animadora, mas aparentemente a equipe vem sofrendo um bocado para conseguir lidar com um problema: a reputação da empresa.

Em resumo, já é de conhecimento comum que o Facebook não é exatamente conhecido por proteger a privacidade de seus usuários. Logo, a companhia teve respostas esmagadoramente preocupadas em suas pesquisas de mercado com a possibilidade de que o Aloha seja usado como um espião dentro de suas casas.

Público mostrou, em sua maioria, a preocupação com sua privacidade ao ter um dispositivo do Facebook em sua casa

Com isso, a equipe está trabalhando em maneiras de contornar essa imagem. Entre as soluções mais “criativas” encontradas por eles, está a possibilidade de vender o dispositivo como uma maneira para que os mais velhos se comuniquem com suas famílias. Até mesmo a criação de uma nova marca que não carregue o nome do Facebook foi cogitada.

Se eles vão conseguir contornar isso? Bem, teremos que esperar para ver.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Facebook quer entrar em sua casa com hardwares inteligentes [rumor]