Não há como negar que, por mais avançados que sejam os dispositivos de realidade virtual como o Oculus Rift, o HTC Vive, o Project Morpheus e até o Samsung Gear VR, todos acabam sendo limitados à mesma proposta: envolver a pessoa em uma experiência audiovisual, somente. Mas um novo projeto surgido no Kickstarter promete ser algo além.

Trata-se do FOVE, um aparelho de realidade virtual que tem uma pequena – e promissora – adição em seu hardware. Além de tudo o que você já espera de um acessório do gênero, ele também conta com um sensor de rastreamento dos olhos, permitindo uma interação com o ambiente sem que você precise utilizar suas mãos.

As possibilidades que isso traz são inúmeras, já que ainda é possível usar mouse e teclado enquanto realizamos outras ações com um simples olhar. Outro uso igualmente interessante seria na hora de trabalhar com o foco da imagem: o FOVE borra o que está em sua visão periférica, não apenas dando um aspecto mais real, como também permitindo uma renderização mais detalhada onde você está focando.

Como se isso não fosse suficiente, a empresa também garante que o FOVE reduz problemas como a tão temida tontura causada por usar esse tipo de aparelho. Isso é resultado, mais uma vez, do sistema de rastreamento de visão: visto que você pode fazer ajustes menores de mira com os olhos, não há a necessidade de mover a cabeça com tanta frequência; logo, não há um movimento tão constante da câmera.

Promissor, mas potencialmente limitado

Mas será que a tecnologia realmente funciona? O pessoal do site The Next Web teve a chance de testar o aparelho e, segundo eles, o sistema apresentado nas demonstrações já se mostrou bastante eficiente, acompanhando com precisão consideravelmente alta as ações desempenhadas com um olhar. A tela com 2560x1440 pixels de resolução dá uma ajudinha para deixar tudo ainda mais bonito, é claro.

O único problema que surge com uma proposta dessas, no entanto, é que o FOVE precisaria de jogos e programas feitos especificamente para ele. E isso já foi a ruína de muitas ideias igualmente interessantes e promissoras. Felizmente, parece que os desenvolvedores interessados em criar algo para o acessório não vão ter que criar tudo “do zero”.

Para resolver essa questão, o FOVE é compatível com softwares desenvolvidos em algumas das ferramentas mais utilizadas no mercado – Unity, Unreal Engine e Cry Engine. Isso quer dizer que um game, por exemplo, poderia ser feito para todos os outros aparelhos de realidade virtual; e então, se desejado, os desenvolvedores podem criar algum suporte para o rastreamento de visão desse dispositivo.

A empresa também possui um acordo com a loja de aplicativos de realidade virtual WEARVR. Dessa maneira, temos a garantia de que apps para o dispositivo não vão faltar – mesmo que nem sempre trazendo suporte à sua tecnologia.

Além dos jogos

Se você pensa que a proposta do FOVE está limitada apenas aos games, saiba que a ideia tem usos muito mais interessantes. Um exemplo disso pode ser conferido no vídeo abaixo, que mostra um garotinho deficiente conseguindo usar o aparelho para controlar as notas tocadas por um piano (um processo que pediu um bom treino e preparação de todas as partes, é claro).

Como esse vídeo deixa bem claro, o aparelho pode garantir um nível de interação completamente diferente para deficientes físicos, que podem usar a tecnologia do FOVE para escrever mensagens ou mesmo utilizar o computador. É claro, tudo isso já é aproveitado por muitas pessoas que sofrem de doenças como essas, mas essa é uma opção muito mais acessível e simples de utilizar.

Mesmo com toda essa promessa, o FOVE ainda está um pouco distante de atingir sua meta de 250 mil dólares no site de crowdfunding. Felizmente, no momento em que essa matéria é feita, ele acaba de alcançar a marca dos US$ 175 mil arrecadados, e com um mês e meio restantes para o fim da campanha. É provável que, com todo esse tempo, eles atinjam seu objetivo; caso não consigam, a empresa pretende voltar para a mesa de projeto com o aparelho.

Se você tiver se interessado em comprar um FOVE, é melhor se apressar. Isso porque o aparelho normalmente está disponível na página do projeto por US$ 399 (mais ou menos R$ 1.214, em uma simples conversão e sem outras taxas), mas aqueles a apoiarem o dispositivo o quanto antes ainda podem conseguir um pequeno desconto e pagar apenas US$ 375 (R$ 1.141). E todos eles, vale notar, vêm com todo o suporte para o desenvolvimento de apps.

Cupons de desconto TecMundo: