A realidade virtual permite que você visite universos variados, desde cenas da época em que viviam os dinossauros até uma nave espacial. O jornalista Nathan Grayson, do site Kotaku, experimentou outro extremo dessa tecnologia: jogos pornográficos. Durante a GDC 2015, o desenvolvedor Vander Caballero, de Papo & Yo, convidou o rapaz a testar um simulador erótico — e a descrição é impagável, curiosa é bizarra. De acordo com o jornalista, não se tratava de um jogo, mas de uma cena gravada com uma atriz de verdade. A diferença era que você podia olhar para os lados do "cenário".

A cena acontece durante um café da manhã. Uma atriz ruiva começa a tirar a roupa para o avatar. Ela olha para você e até chega a se aproximar bastante, quase a ponto de acontecer o contato. Grayson diz que aquilo foi "estranhamente desconfortável", pois não há qualquer indício de que a mulher estava lá, como respiração, calor humano ou batidas do coração. Isso cria uma espécie de sensação fantasma — e a impossibilidade de falar com a pessoa e receber uma resposta faz com que quem já é naturalmente tímido ou retraído fique ainda mais inseguro.

"(...) Não posso negar que elementos do aplicativo pornô de realidade virtual são efetivos, mesmo que brevemente. Meu cérebro acreditou que eu estava lidando com outro ser humano. Como resultado, foi realmente confuso e um pouco estranho. Apesar disso, não posso negar que aquilo provocou uma reação forte", explicou.

Pessoas mais próximas, porém isoladas

Apesar de classificar o teste como confuso, Grayson conversou com outra pessoa que conheceu um app diferente de pornografia — e essa segunda opinião foi totalmente positiva. A experiência foi completa, e ele se sentiu imensamente ligado à interação ("Eu só tive essa mesma experiência com poucas namoradas na minha vida", teria afirmado o rapaz). Sabe o filme "O Demolidor", com Sylvester Stallone e Wesley Snipes? O longa-metragem se passa no futuro e, lá, o sexo é feito com o uso de capacetes que recriam sensações de contato entre duas pessoas, em uma adivinhação bastante precisa da tecnologia atual.

A conversa do jornalista com o desenvolvedor antes do experimento é curiosa: o programador dá a entender que a realidade virtual pode ser a barreira final e definitiva entre as pessoas, já que é só colocar os óculos e entrar em um universo individual que pode ser bem mais interessante que a vida real. Perigoso, não é?

Cupons de desconto TecMundo: