A característica que marca a realidade aumentada é a possibilidade de interação entre o mundo real e o virtual. Por meio dela, a forma de ligação entre os dois mundos se modifica e traz inúmeras opções em jogos, comunicação e na interatividade.

Portanto, nada mais comum do que as mulheres se beneficiarem desta nova forma de interação. Depois do espelho virtual da IBM, um time de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Tóquio usou os cabelos como base para um novo dispositivo baseado na realidade aumentada.

Cabelo, cabeleira...

O corte de cabelos baseado na realidade aumentada é um simulador que, através de tesouras especiais e um manequim, imita o processo pelo qual passamos todos nós na cadeira do cabeleireiro.

Chamado de “Air-Hair”, o dispositivo mostra na tela a reprodução do manequim que está sentado na cadeira, como se este possuísse uma grande quantidade de cabelos em sua cabeça. Então, com uma tesoura modificada, que traz motor para simular a resistência do cabelo ao ser cortado, o usuário vai modelando o estilo das madeixas.

Isso quer dizer que, quando você “corta” os cabelos virtuais do manequim, percebe como se estivesse, de fato, cortando cabelos reais de uma pessoa. A aparência do avatar virtual se modifica conforme você faz sua obra de arte, de forma a deixar o corte o mais interessante e real possível.

Além do motor na tesoura, que possibilita a sensação da realidade, o dispositivo ainda traz uma luz infravermelha de LED que permite que o sistema identifique exatamente o local em que a tesoura se encontra.

O sistema utiliza dois controles do videogame Wii, da Nintendo, que se utilizam de sensores para capturar e repassar os movimentos para o console. Isso faz com que o sistema, através do controle, leia com precisão todos os movimentos da mão do usuário enquanto manuseia a tesoura real, repassando esta movimentação para o ambiente virtual.