Nós já comentamos aqui no TecMundo como próteses biônicas e até produzidas com a ajuda das impressoras 3D podem mudar a vida de pessoas que apresentam paralisias ou má formação. Hoje, o caso que vamos relatar é semelhante. Um homem de 28 anos que possui paralisia nas mãos já pode sentir o toque graças aos eletrodos que foram colocados diretamente no cérebro dele.

O nome dele não foi identificado e atualmente a tecnologia está em fase de testes, com testes clínicos e um acompanhamento restrito. Desenvolvido pela DARPA (a agência de pesquisas do exército dos Estados Unidos), o aparelho permite que o usuário controle as suas novas mãos e sinta o toque de pessoas ou objetos devido ao conjunto de eletrodos aplicados no cérebro.

Um deles é aplicado no córtex motor (região do cérebro responsável pelo movimento do corpo) e o outro sobre o córtex sensitivo (área que responde ao toque). A mão protética foi desenvolvida pelo laboratório de física aplicada da Universidade de John Hopkins, em Baltimore, e contém sensores que detectam o quanto de pressão está sendo feito sobre os dedos para gerar um sinal elétrico ao cérebro e reproduzir essa informação.

Com os olhos vendados, o homem foi testado de modos diferentes, com todos os dedos da prótese tocados em momentos variados e com pressões diferentes. De acordo com o resultado divulgado, as respostas foram praticamente 100% precisas (inclusive, quando dois dedos foram tocados ao mesmo tempo, ele foi capaz de sentir isso e dizer que os cientistas estavam tentando enganá-lo).

Certamente, esse tipo de tecnologia é impressionante, porém mais detalhes não foram revelados até o momento – nem sobre a prótese e nem sobre qualquer data de divulgação desses sensores. Além disso, muitos testes ainda precisam ser feitos, já que a prótese não é capaz de identificar temperaturas diferentes. Seja como for, esperamos ouvir mais notícias do DARPA em breve.

Cupons de desconto TecMundo: