Novos chips Intel não poderão mais tocar Blu-ray em 4K

1 min de leitura
Imagem de: Novos chips Intel não poderão mais tocar Blu-ray em 4K
Imagem: HowToGeek
Avatar do autor

A partir de alguns modelos da 11ª geração de chips, a Intel removeu o suporte a uma tecnologia essencial para a reprodução de discos Blu-ray em resolução 4K. Estamos falando do módulo de segurança SGX, ou Software Guard Extensions, que é necessário para o funcionamento de mídias que exigem o chamado DRM para reproduzir o conteúdo.

O termo DRM, ou Digital Rights Management, faz referência aos recursos de proteção de direitos autorais presentes em algumas mídias. De acordo com a Intel, o suporte à tecnologia SGX possibilitou o surgimento de várias brechas de segurança e vulnerabilidades em PCs. Por conta disso, as CPUs mais recentes da marca não trarão mais esse suporte.

Entenda a situação

Página no site da Intel que menciona a perda de suporte à tecnologia SGX. (Fonte: BleepingComputer/Reprodução)Página no site da Intel que menciona a perda de suporte à tecnologia SGX. (Fonte: BleepingComputer/Reprodução)Fonte:  BleepingComputer 

Esse “problema” foi identificado pela primeira vez pela CyberLink, uma empresa conhecida no segmento de softwares para reprodução de vídeos — responsável pelo PowerDVD. Em uma página para sanar dúvida de clientes, a organização argumenta que a remoção do suporte ao SGX e sua distribuição em drivers e atualizações do Windows torna inviável a manutenção da capacidade de reproduzir Blu-ray 4K nos programas desenvolvidos pela companhia.

Assim como a CiberLink, outras empresas do mercado devem sentir esse impacto, deixando de dar suporte ao formato em próximas atualizações de seus produtos.

Possíveis impactos

Embora a reprodução de conteúdo em Blu-ray pareça algo quase ultrapassado, há muitas pessoas que ainda gostam de manter mídias físicas para a reprodução de conteúdo. Porém, o maior impacto não deve ser para o consumidor final, mas de grandes indústrias que dependem desse formato para distribuição de suas produções.

Esse é o caso da indústria cinematográfica, que de alguma forma pode sentir o impacto dessa situação. É claro que há diversos meios de contornar esse problema, mas o movimento certamente vai exigir a adaptação de algumas empresas — e talvez até mesmo de alguns consumidores.

E você, ainda costuma consumir conteúdo em mídias físicas, em especial o Blu-ray? Ou você é daqueles que se adaptou muito bem ao streaming e conteúdos digitais?