Sony voltará a vender câmeras e lentes no Brasil

1 min de leitura
Imagem de: Sony voltará a vender câmeras e lentes no Brasil
Imagem: Unsplash
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Poucos meses depois de anunciar o encerramento das suas atividades no Brasil, a Sony voltará a vender câmeras, lentes e acessórios para foto e vídeo no mercado nacional, por meio de parceria com uma empresa do setor. A novidade foi revelada pelo Estadão nesta quinta-feira (30).

Em entrevista ao jornal, a gerente de marketing da Sony, Ana Malerbi, contou que a distribuidora de equipamentos audiovisuais Merlin ficará responsável por trazer os produtos de volta ao Brasil. Neste retorno, estarão disponíveis modelos populares da época em que a marca japonesa possuía fábrica por aqui, além de itens destinados a profissionais da área.

De acordo com Malerbi, o portfólio incluirá um total de 25 produtos diferentes, entre câmeras, lentes e acessórios. Os preços devem girar em torno de R$ 8,4 mil para as câmeras, enquanto as lentes serão comercializadas por R$ 2 mil e os acessórios custarão a partir de R$ 500.

As câmeras e os acessórios da Sony serão importados e os preços podem variar conforme a cotação do dólar.As câmeras e os acessórios da Sony serão importados e os preços podem variar conforme a cotação do dólar.Fonte:  Unsplash 

Ainda conforme a representante da empresa, esses valores estão sujeitos às mudanças ocasionadas pela cotação do dólar, podendo apresentar variações. Em relação ao início das vendas, não foi especificada uma data, mas a previsão é de que os produtos estejam disponíveis no Brasil até o final deste ano.

Câmeras e fones de ouvido

Essa parceria para o retorno de produtos da Sony ao Brasil é a segunda anunciada pela gigante japonesa. No mês de julho, a marca fechou acordo com a Multilaser para vender fones de ouvido importados no mercado nacional, que podem ser encontrados em lojas físicas e virtuais.

Apesar dessas iniciativas, por enquanto a fabricante não pensa em anunciar mais acordos do tipo para voltar a vender outros tipos de equipamentos no território brasileiro. Segundo Malerbi, a empresa está priorizando, neste momento, o retorno de produtos com grande potencial de crescimento e maior demanda.