AMD: processadores Ryzen da geração Zen 4 terão GPU integrada

1 min de leitura
Imagem de: AMD: processadores Ryzen da geração Zen 4 terão GPU integrada
Imagem: AMD
Avatar do autor

Há duas semanas, um vazamento de dados da Gigabyte, fabricante taiwanesa de componentes eletrônicos, revelou documentos sigilosos de diversas empresas, incluindo a AMD. Através deles, foi possível conferir o que esperar da nova linha de processadores e arquitetura do Time Vermelho, a Zen 4. Ao que parece, os novos modelos possuirão, por padrão, uma GPU integrada — porém, nem todos terão o componente ativo.

Assim como a Intel, é provável que a AMD comercializará parte de seus processadores sem uma GPU ativa, seja por defeitos durante o processo de fabricação ou reaproveitamento de material. Essa estratégia é bastante utilizada pelas fabricantes de modo a evitar o desperdício de componentes funcionais, mas que possuem falhas menores: um processador fabricado como hexacore, mas com apenas quatro núcleos funcionando, ainda poderia ser comercializado em outra linha, por exemplo.

Similarmente, a AMD também pode estar direcionando estes modelos para concorrer com os processadores da Série F da Intel, que não possuem GPU integrada e são vendidos com preço mais acessível. Confira abaixo um gráfico com as principais características da arquitetura Zen 4, feito pelo site Chips and Cheese:

Características da arquitetura Zen 4, da AMD, observadas em 3 diferentes processadores. (Fonte: Chips and Cheese / Reprodução)Características da arquitetura Zen 4, da AMD, observadas em 3 diferentes processadores. (Fonte: Chips and Cheese / Reprodução)Fonte:  Chips and Cheese 

RDNA 2 a caminho

Conforme revelado por rumores passados, em abril deste ano, a AMD pode implementar sua nova microarquitetura para placas de vídeo, RDNA2, nos processadores da Zen 4. Mais especificamente, a novidade deve chegar para os modelos com GPU integrada da Série Ryzen 7000, que será lançada no próximo ano.

A RDNA 2, presente na nova geração de consoles e nas placas Radeon RX 6000, possui um aumento de 54% em seu desempenho por watt em relação à linha predecessora. Considerando estas características, é possível supor que sua implementação significará grandes melhorias para os usuários dependentes de GPUs integradas.