Xiaomi suspende venda de carregador de 65W por conta de falha

1 min de leitura
Imagem de: Xiaomi suspende venda de carregador de 65W por conta de falha
Imagem: Xiaomi
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Durante o lançamento da família Mi 10, a Xiaomi divulgou seu novo carregador rápido de 65W que, nos últimos dias, foi retirado de diversos sites de vendas e algumas lojas físicas. Segundo o site chinês TechSina, isso se deu após a identificação de uma grave falha de segurança no dispositivo.

Uma equipe de especialistas não relacionada à Xiaomi enviou um relatório de segurança para a empresa, informando que o carregador estava utilizando um firmware não criptografado.

Equipado com um chip eFlash / MTP regravável, o dispositivo é capaz de corrigir problemas e atualizar o protocolo de carregamento. Contudo, seus sistemas de segurança não estavam ativos, fazendo com que o carregador ficasse exposto à ação de invasores.

a

Por meio desta falha, o carregador poderia ser modificado por pessoas má intencionadas que, além de outros danos, poderiam causar uma saída de tensão muito alta. Como resultado, pessoas próximas do dispositivo poderiam se ferir.

Essa falha de segurança dificilmente levaria a situações graves, como explosões ou incêndios, já que os celulares mais novos da Xiaomi são equipados com proteções contra sobretensão. Se a tensão do aparelho ultrapassar 20 V, seu hardware seria protegido pelo OVP embutido.

Embora os celulares não sofram consequências muito graves, acessórios periféricos seriam rapidamente danificados — no caso de um fone de ouvido conectado, por exemplo. Enquanto os carregadores somem das vitrines gradativamente, espera-se que a Xiaomi esteja trabalhando para consertar essa falha.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Xiaomi suspende venda de carregador de 65W por conta de falha