Aérea proíbe MacBooks em bagagem despachada devido a 'baterias explosivas'

1 min de leitura
Imagem de: Aérea proíbe MacBooks em bagagem despachada devido a 'baterias explosivas'
Avatar do autor

A operadora aérea Virgin Australia é a primeira companhia do setor a proibir os passageiros de colocarem MacBooks de todos os modelos e gerações dentro da bagagem despachada — ou seja, as malas deixadas pelos clientes nas esteiras e que viajam no compartimento especial da aeronave.

O motivo é um recall feito pela Maçã de modelos MacBook Pro com Retina Display de 15 polegadas vendidos entre 2015 e 2017. A medida foi tomada porque alguns componentes estavam pegando fogo, inclusive levando ao superaquecimento da bateria.

"Por causa do recolhimento mundial da Apple de um certo número de baterias do MacBook, TODOS os MacBooks devem ser posicionados somente na babagem de mão. Nenhum MacBook é permitido em bagagem despachada até uma próxima atualização", diz o comunicado.

Como saber se o meu modelo foi afetado?

Como a identificação dos modelos pode ser feita apenas pelo número de série, o que geraria muitos inconvenientes entre a companhia e os passageiros, a Virgin decidiu simplesmente em banir todos os MacBooks dos despachos. Vale lembrar que, durante a crise enfrentada pela Samsung com as explosões do Galaxy Note 7, o modelo chegou a ser proibido até mesmo de ser levado em voos.

Os notebooks da Apple afetados pelo problema também foram banidos de todos os voos nos EUA.

Para saber se o seu MacBook Pro de 15 polegadas pode estar em risco, confira a página de assistência da Apple.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Aérea proíbe MacBooks em bagagem despachada devido a 'baterias explosivas'