Em sua reunião anual com investidores, realizada neste mês, a Intel confirmou os lançamentos de suas próximas CPUs Ice Lake para desktops e servidores para 2019 e 2020, além de mostrar o roadmap para os anos seguintes. A empresa afirmou aos parceiros que, enfim, superou as dificuldades da transição dos 14 nm para os 10 nm e que a migração para os 7 nm será mais fácil.

Nesta terça-feira (21), o WikiChip publicou sobre o vazamento de detalhes de alguns dos próximos processadores Xeon, destinados a data centers e servidores.

 Roadmap Intel Xeon 2020-2022


Fonte: Intel/Reprodução

Cooper Lake-SP (14 nm) – 2020

No primeiro trimestre de 2020, a Intel vaia lançar CPUs Xeon baseados na arquitetura Cooper-Lake, ainda sob o processo de fabricação de 14 nm (a última geração). Esta plataforma, chamada Whitley, terá processadores Cooper Lake-SP (Scalable Processor) com suporte a oito canais DDR4 e PCIe 3.0. O modelo Cooper Lake-AP (Advanced Processor) terá até 48 núcleos.

Estes processadores, provavelmente, suportarão as memórias Optane Barlow Pass, o que significa um aumento considerável de performance em alguns cenários. Os servidores 4S e 8S vão operar com os Cooper Lake-SP e AP com no máximo 26 soquetes por máquina.

Ice Lake-SP (10 nm +) – 2020

Ainda em 2020 (segundo trimestre), a companhia vai apresentar a geração de Xeons Ice Lake, feita em 10 nanômetros (versão melhorada em relação à versão de 2019). Estes chips terão até 26 núcleos e suportarão 8 canais DDR4. Eles também vão estrear o suporte ao PCIe 4.0, que sua rival, a AMD, vai anunciar dentro de algumas semanas, como recurso dos processadores EPYC codinome Rome.

É esperado um grande salto de desempenho para os Ice Lake, já que serão os primeiros Xeon baseados nos 10 nm e na nova arquitetura a Sunny Cove.

Sapphire Rapids (10 nm ++) – 2021

Em 2021, a Intel lançará os Xeon Sapphire Rapids, baseados na segunda geração dos 10 nm. Estas CPUs farão parte da plataforma Eagle Stream e suportarão o PCIe 5.0 e 8 canais DDR5, estreando a microarquitetura Willow Cove.

Neste mesmo período, a empresa deve lançar suas primeiras GPUs Xe, feitas em 7 nm, para data centers.

Granite Rapids-SP (7 nm) – 2022

Em 2022, a Intel conquista, enfim, os 7 nanômetros, com o lançamento dos Xeon Granite Rapids e a nova microarquitetura Golden Cove. Aqui, mantém-se os 8 canais DDR5 e o PCIe 5.0, mas a plataforma passa a utilizar as memórias Optane Donahue Pass.

É visível que, após superar a barreiras dos 14 nm, a Intel está tentando acelerar ao máximo o desenvolvimento de sua plataforma para servidores e data centers, já que a AMD tem mostrado uma competência ameaçadora neste segmento, com os EPYC Rome de 64 núcleos e 7 nm sendo lançados ainda em 2019.