A Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, revelou os resultados do Apple Heart Study, um estudo conduzido durante oito meses com mais de 400 mil donos de Apple Watch desenvolvido para identificar se o relógio da Maçã é, de fato, capaz de identificar com precisão alterações de ritmo cardíaco.

E isso foi confirmado: de acordo com a pesquisa, 0,5% dos 400 mil voluntários receberam uma notificação sobre atividade cardíaca irregular, sendo que em 84% dos casos ficou comprovado um quadro de fibrilação atrial, quando o coração bate em ritmo rápido e irregular.

Após a notificação, os pacientes eram recebiam contato de médico pelo app e realizavam um eletrocardiograma ao longo de uma semana a fim de monitorar a situação. Ao todo, 34% deles mostraram alguma irregularidade, um número dentro do esperando quando se trata de fibrilação atrial intermitente, ou seja, que é contínua. Além disso, 57% das pessoas que receberam notificação foram visitar um médico.

Eficácia

Não fica claro se houve um número significativo de pessoas que tinham, de fato, um quadro de fibrilação atrial, mas não receberam a notificação. Mesmo assim, o número de 84% é importante e indica que o relógio Apple é eficaz na identificação de alterações cardíacas, garantindo assim mais chance de obter algum tipo de apoio e acompanhamento médico.

Vale lembrar, ainda, que o estudo usou modelos do Apple Watch até o Series 3, pois o Series 4, que traz um sistema de eletrocardiograma embutido, ainda não havia sido lançado à época.

Cupons de desconto TecMundo: