Divulgado em maio, o smartphone Android com tecnologia blockchain Exodus ganhou alguns detalhes em julho e desde então mais nada foi dito a respeito pela HTC — que não tem uma de suas melhores temporadas, já que o HTC U12+, lançado em agosto, não fez o sucesso que a companhia esperava. Ainda assim, a taiwanesa manteve o lançamento do seu telefone para criptomoedas dentro do cronograma previsto.

Phil Chen, cofundador da HTC que agora se autodenomina “diretor descentralizado”, afirmou que a companhia ainda vem otimizando as funcionalidades do aparelho, para melhorar a segurança para acesso das transações criptografadas no telefone. Para isso, a empresa está incorporando a carteira eletrônica com a tecnologia TrustZone da ARM, que impede invasores de acessar a carteira eletrônica sem a API da HTC.

O Exodus deve adotar o algoritmo de compartilhamento secreto Shamirs, que permite que os usuários usem o mecanismo de recuperação de chave social para obter a senha e outros ativos quando o telefone for perdido ou roubado. Infelizmente, ainda não há detalhes sobre o hardware e outras especificações técnicas.

Chen adiantou que as pré-vendas devem começar logo após o anúncio oficial, provavelmente no final de outubro, e as entregas devem começar a acontecer em dezembro. Ainda não há estimativa de preço.