A corrida da nova geração de processadores e placas gráficas está mais acirrada. Anúncios como os da Nvidia e suas novas GPUs aumentam a expectativa de surgir ainda mais novidades nos próximos meses.

Atendendo a essa expectativa, a GlobalFoundries (produtora de chips norte-americana e principal parceira da AMD) anunciou que não fabricará usando a litografia de 7 nanômetros. A AMD, por sua vez, declarou que a produção será exclusivamente feita pela Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC).

A parceira norte-americana justifica a mudança para focar no desenvolvimento no 14nm e 12nm FinFET, tornando seus chips mais atrativos para seus clientes. A AMD manterá a parceria, mas apenas na produção de chips Radeon e Ryzen — que usam dessas litografias.

A TSMC irá produzir os novos processadores Ryzen 2 e placas de vídeo "Navi". Essa mudança leva a crer que os anúncios serão feitos em breve.

Correndo contra o tempo, e contra a concorrência

Atendendo ao mercado de GPUs, a AMD tem suas razões para acelerar o desenvolvimento do novo processo de fabricação 7nm. O anúncio das placas de vídeo Turing, pela Nvidia, a coloca para trás em termos de inovação. Irá competir também com a Intel, cujo lançamento da sua GPU foi definido para 2020.

As placas Navi pretendem bater de frente com esses lançamentos. Primeiro destinadas a inteligência artificial, posteriormente trarão também versões para o seguimento gamer. 

A Intel tem tido problemas no desenvolvimento dos chips de 10nm, mas os vazamentos sobre esta nova litografia não param, podendo indicar (ou não) sua iminente chegada. A Gigante Vermelha tem que se preparar para a nova geração — o que já está nos planos. O Ryzen 2, de 7 nanômetros, tem sua chegada esperada para 2019.