Em 2017, começaram os burburinhos sobre o Andromeda, dispositivo dobrável da Microsoft; desde então, a empresa solicitou várias patentes para garantir o design do dispositivo. Agora foi a vez de a companhia receber a patente intitulada "Chamada em vídeo de três vias em dispositivo multitela articulado", registrada em junho de 2017, mas publicada pelo Escritório de Marcas e Patentes dos EUA somente no dia 3 de julho.

A patente em questão indica que a Microsoft poderia estar trabalhando em um dispositivo de computação móvel de tela múltipla  smartphone, tablet ou laptop  com foco em chamadas de vídeo. Ele conta com um processador, um acelerômetro e dois monitores. E mais: ambos os monitores apresentam uma câmera, de forma que será possível que os dois façam a exibição das imagens transmitidas pela segunda câmera a partir de um dispositivo remoto.

Com o dispositivo, será possível que os usuários interajam de várias maneiras, inclusive na orientação vertical  também chamado de modo retrato. A tela principal ou secundária pode ser organizada para aparecer diretamente na frente do usuário, e a patente observa que existem "outras posições e orientações".

Para explicar e defender a ideia, a companhia abordou uma situação em que "poderia ser difícil para os usuários no mesmo espaço físico fazerem parte de uma chamada de vídeo quando não estão próximos um do outro, especialmente quando há três ou mais participantes. Eles podem se perder de vista, e pode ser difícil dizer se os usuários estão no quadro das câmeras que os gravam".

A patente, designada pelo valor de US$ 10.015.442, foi concedida à Microsoft logo após a notícia de que a empresa estaria colocando o Andromeda em espera pelo resto do ano.