O CEO da Microsoft, Satya Nadella, chegou a falar publicamente que só valeria a pena a Microsoft entrar novamente no mercado mobile para desafiar o duopólio Android/iOS caso a empresa tenha uma abordagem completamente inovadora para esse segmento. Nas últimas semanas, as palavras do chefe da companhia parecem ter começado a tomar forma. Estamos falando do projeto “Andromeda”, que, segundo rumores, deve dar origem a uma espécie de caderno digital.

Nós já comentamos algumas vezes sobre esse aparelho aqui no TecMundo, mas algumas novidades acerca do dispositivo surgiram na web hoje (31). A Microsoft estaria trabalhando em segredo na otimização de seus apps para dispositivos com duas telas e adicionando suporte a canetas stylus em vários deles, o que inclui OneNote, Email, Calendário e vários outros. Tudo isso indicaria uma preparação para o Andromeda. O nome “Andromeda” também tem sido referenciado como algum tipo de software para o Windows 10 com foco na usabilidade com canetas digitais.

andromedaPatente registrada pela Microsoft que corrobora rumores sobre o Andromeda

Espera-se que o aparelho em questão tenha uma tela dobrável ou que possua dois displays conectados

Espera-se que o aparelho em questão tenha uma tela dobrável ou que possua dois displays conectados de alguma forma para melhorar a questão da multitarefa. Brad Sams, do Thurrott, chegou a afirmar que fontes ligadas à Microsoft afirmaram que Alex Kipman estraria trabalhando nesse display. Kipman é um pesquisador brasileiro da Microsoft famoso por ter criado o Kinect e o HoloLens. Por isso, é possível que o Andromeda tenha algum tipo de funcionalidade VR ou AR. Outras fontes ainda teriam comentado que a empresa está comprometida na criação de um display holográfico, mas não se sabe se o Andrômeda traria essa tecnologia para o mercado.

Sams ainda explica que a própria Microsoft não espera vender milhões de unidades desse dispositivo, mas sim usá-lo como uma espécie de modelo de referência, para criar uma categoria de novos aparelhos bem ao estilo do que foi feito com a linha Surface até o momento.

O que já sabíamos

O Andromeda deve trazer um novo conceito de aparelho mobile que poderia ser descrito basicamente como um caderno digital de pequenas proporções. O dispositivo deve ter uma tela dobrável ou dois displays conectados de alguma forma. Espera-se que ele rode os apps universais do Windows 10, mas não temos certeza se o aparelho estaria equipado com o Windows 10 Mobile ou com a versão tradicional do SO.

Ele não deve ser exatamente um substituto para os smartphones

Espera-se que esse dispositivo tenha capacidades telefônicas, como conectividade com a internet móvel e a possibilidade de fazer ligações e enviar SMS. Contudo, ele não deve ser exatamente um substituto para os smartphones, mas sim um aparelho complementar que, por acaso, teria essas capacidades.

Especula-se ainda sobre o hardware. Como a Microsoft vem trabalhando com a Qualcomm e outras parceiras para trazer notebooks com Windows 10 completo para dispositivos com chips Snapdragon 835 (até o fim de 2017), o mais provável é que o Andromeda também siga essa linha e chegue ao mercado com um chip da Qualcomm. Mesmo assim, chips da Intel não podem ser descartados da equação.

Seja como for, um aparelho comercial resultante do projeto Andromeda não deve chegar ao mercado pelo menos nos próximos 12 meses. Além do mais, existe uma grande possibilidade de que esse modelo faça parte linha Surface, que nunca foi vendida oficialmente no Brasil. Portanto, é bom não criar muitas expectativas para essa novidade da Microsoft.

Cupons de desconto TecMundo: