A equipe de um pós-doutorando do MIT (Massachusetts Institute of Thecnology), Gabriel Bousquet, desenvolveu um veículo autônomo híbrido que pode tanto voar quanto navegar sobre as águas quando necessário. O drone – comparado ao um albatroz por sua versatilidade de ambientes – é parte do projeto de tese de Bousquet, que considera que “os oceanos são pouco monitorados”.

Imagine que você pode voar como um albatroz quando está ventando muito e, quando não há vento suficiente, a quilha permite que você navegue como um veleiro

“Em particular, é muito importante entender o Oceano Antártico e como ele está interagindo com a mudança climática. Mas é muito difícil chegar lá”, afirmou o pós-doutorando. O drone usa apenas um terço do vento que um albatroz utiliza em seus voos e viaja dez vezes mais rápido do que um veleiro comum, o que é uma maneira muito eficiente de inspecionar as vastas áreas dos mares do planeta.

Trabalho importante

O protótipo do drone foi criado em 2016 e já vem sendo testado desde então. Trata-se, mais exatamente, de um planador autônomo que contém aparelhos importantes para as medições e o monitoramento do ambiente, como GPS, sensores de inércia, sistema de piloto automático e ultrassom. Ele possui uma envergadura de 3 metros e vai poder ser operado em frotas para analisar os oceanos mais inacessíveis.

“Imagine que você pode voar como um albatroz quando está ventando muito e, quando não há vento suficiente, a quilha permite que você navegue como um veleiro”, disse Bousquet em uma nota. “Isso aumenta consideravelmente os tipos de regiões onde é possível chegar”.