Uma das regiões mais bonitas e famosas da Grande Muralha da China vai ser restaurada com ajuda da Intel. Na última semana, foi divulgada uma parceria entre a Intel e a Fundação para Conservação do Patrimônio Cultural da China; a ideia é que a fabricante de chips contribua para a restauração da região de Jiankou por meio da utilização de drones e Inteligência Artificial da marca.

1

Segundo o presidente da Fundação para Conservação do Patrimônio Cultural da China, Li Xiaojie, a natureza e o tempo causaram alguns danos ao famoso patrimônio, "como uma das Sete Maravilhas do Mundo, a Grande Muralha está exposta à erosão climática há milhares de anos", disse ele por meio de um comunicado. "Algumas peças estão em declives íngremes, o que representa um grande desafio para a manutenção diária. Nossa parceria com a Intel abriu novos caminhos para a preservação", completou Xiaojie.

2

A parte da Grande Muralha é conhecida no mundo inteiro por suas subidas íngremes e vistas panorâmicas. Essa região está localizada numa área de vegetação densa, que existe desde o século III a.C., mas tem resistido ao tempo e, como é natural, necessita de alguns reparos. Com ajuda de drones Intel Falcon 8+, as imagens 3D de alta definição criam uma representação visual da muralha que facilitará a verificação e a identificação das seções danificadas que precisam de reparo.

3

O vice-presidente e gerente da equipe de drones da Intel, Anil Nanduri, explica por que o uso dos drones vai facilitar o trabalho: “ao utilizar drones, podemos inspecionar múltiplos aspectos da estrutura, incluindo as áreas bastante inacessíveis. Continuamos empolgados com o futuro das inspeções, sendo estas automatizadas desde a captura de dados feita pelo drone até o processamento de dados, análise e insights. Estamos ansiosos para alavancar a nossa tecnologia para ajudar na preservação de mais patrimônios mundiais no futuro”.