Nós já mostramos a expertise do pessoal do TecLab na investigação de softwares passíveis de falhas, sejam elas intencionais ou involuntárias por parte do usuário. No passado, o time de especialistas comandado por Ronaldo Buassali se destacou ao mostrar configurações da placa-mãe, que podem resultar em pontuações melhores em softwares como 3DMark.

Desta vez, o TecLab relata uma façanha que pode estar em uso há muito tempo nos principais benchmarks de placas de vídeo. Conforme explicação no vídeo mais recente do canal, diversos aplicativos do segmento podem estar propensos a tal falha, algo que pode ter influenciado os rankings mundiais nos últimos anos.

Segundo a explicação do overclocker Ronaldo Buassali, com o programa NVIDIA Inspector, o usuário pode alterar a forma como a placa de vídeo processa o conteúdo e, assim, aliviar a carga de trabalho ao desenhar os frames. Como resultado, a placa pode finalizar uma tarefa de forma mais rápida, o que resulta em pontuações maiores em testes como FireStrike e TimeSpy.

NVIDIA Inspector - GTX 1080Ti

O truque sujo trabalha com alterações em dois parâmetros: o LOD Bias e o Transparency Supersampling. De acordo com o TecLab, essas configurações funcionam em conjunto, sendo que elas reduzem o nível de detalhe (LOD vem de “Level of Detail” ou “Nível de Detalhe”) no processamento gráfico (algo que evidentemente alivia a carga de trabalho da GPU).

Vale notar que o NVIDIA Inspector, por padrão, tem tais opções limitadas, mas alguém com conhecimento pode incluir outros valores e, assim, encontrar configurações que entreguem vantagens nos testes. É válido constatar ainda que os programas da Futuremark verificam tais parâmetros, mas é possível driblar o System Info antes de rodar os benchmarks.

Conforme você pode ver no vídeo, basta ativar as modificações poucos instantes antes de começar a rodar o teste. Através deste método, um usuário mal intencionado pode ter a certeza de que o software da Futuremark já efetuou previamente a leitura dos parâmetros e não vai detectar incoerências durante os benchmarks ou invalidar os resultados finais.

NVIDIA Inspector - LOD

Sem efetuar qualquer outra mudança de hardware ou software, esse tipo de alteração pode garantir mais de 500 pontos adicionais no teste do TimeSpy. Pode parecer pouco, mas dado os números acirrados do ranking da Futuremark, tal vantagem pode ser difícil de ser superada em setups comuns. Vai saber quanta coisa não “rolou” com esta “sujeira”.

Ainda que não se possa provar nada contra nenhum resultado ou competidor, não podemos descartar a hipótese de que alguns resultados tenham sido influenciados por este tipo de “trapaça”, seja de forma intencional ou por desconhecimento de causa.

Quando contatamos o TecLab para esclarecimentos, tivemos a informação de que a equipe não tem intenção, de forma alguma, de acusar empresas ou overclockers. O vídeo foi divulgado apenas para alertar a comunidade gamer e entusiasta, bem como para servir como comprovação, de modo que a Futuremark possa tomar as devidas providências.

Por ora, a Futuremark e a Liga Mundial não deram declarações oficiais sobre o assunto, mas o assunto é sério e deve ser tratado com urgência. Assim que tivermos novidades, atualizaremos esta notícia. Curta também a página TecLab Extreme PCs no Facebook para acompanhar as novidades do TecLab.