O maior problema dos carros elétricos atualmente é o tempo que leva para recarregar as baterias. Por mais rápido que sejam os carregadores da Tesla, eles ainda estão longe de bater a conveniência de simplesmente encostar em posto de gasolina e, em menos de 5 minutos, sair de lá com o veículo completamente abastecido. Contudo, uma pesquisa realizada pela escola de engenharia da Universidade Drexel, nos EUA, promete inverter esse cenário.

Dr. Yuri Gogotsi e sua equipe estão elaborando baterias compostas essencialmente de um material chamado MXene. Trata-se de uma molécula microscópica com alto nível de condutibilidade. Dessa forma, ela permite a passagem de eletricidade de forma muito rápida, sem oferecer muita resistência. Por conta disso, é possível recarregar uma bateria baseada nesse material em questão de instantes sem ter problemas com superaquecimento ou explosões.

“Nós demonstramos o carregamento de finos eletrodos de MXene em dezenas de milissegundos. Isso é possível graças a uma alta condutividade do MXene. Essa pesquisa pavimenta o caminho para o desenvolvimento de dispositivos de armazenamento de energia ultrarrápidos que podem ser carregados e descarregados em segundos, mas que conseguem guardar muito mais energia do que os capacitores convencionais”, disse Gogotsi em seu artigo sobre a pesquisa.

Com baterias nesse modelo, smartphones poderiam ser carregados em poucos segundos, e a inconveniência da recarga de carros elétricos seria completamente eliminada. Quem sabe carregar um veículo elétrico nos próximos anos seja mais rápido do que abastecer um possante a gasolina.

Infelizmente, essa pesquisa ainda está em um nível iniciante e precisa de muito mais trabalho para se tornar um produto comercial. Talvez até 2020 as baterias de MXene estejam prontas para dominar o mundo.

Cupons de desconto TecMundo: