A febre dos robôs aspiradores de pó Roomba já passou, mas esses produtos ainda são relativamente populares. Há também uma série de outras companhias fazendo cópias desses aparelhos, e a iRobot, criadora desse modelo, resolveu expandir seus planos. Para não ser engolida pelas concorrentes, a empresa está planejando sincronizar seus robôs com outros equipamentos inteligentes na casa dos clientes e até enviar dados para outras empresas.

Para tal, os Roomba compartilhariam mapas internos das residências com luzes, termostatos, câmeras e outros para que esses itens pudessem funcionar de forma mais eficiente ou economizar energia. Segundo Colin Angle, CEO da iRobot, os clientes teriam de dar permissão para que o robô fizesse isso.

Existe um ecossistema inteiro de cosias e serviços que a casa inteligente pode entregar uma vez que você tenha um rico mapa do interior da sua casa

“Existe um ecossistema inteiro de coisas e serviços que a casa inteligente pode entregar uma vez que você tenha um rico mapa do interior da sua casa, o qual o usuário teria que autorizar o compartilhamento”, disse Angle à Reuters.

Contudo, o que realmente pode ser preocupante é a possibilidade de a iRobot estar considerando vender dados desses mapas para outras empresas. Não há detalhes mais concretos sobre como isso poderia acontecer, mas, caso a privacidade dos usuários não seja respeitada, é provável que a companhia enfrente uma série de problemas.

Já ou no futuro?

Atualmente, alguns robôs da marca podem ser controlados pela Alexa, da Amazon, mas nada muito além disso. Contudo, é interessante notar que, provavelmente, os robôs atuais não teriam a capacidade de compartilhar esses mapas com outros equipamentos ou mesmo enviar isso para a nuvem por conta de possíveis limitações de hardware ou mesmo impossibilidade de atualizar software ou firmware. Ou seja, é bem provável que apenas modelos mais novos dos Roomba possam deixar sua casa suscetível a essa coleta de dados.

Cupons de desconto TecMundo: