(Fonte da imagem: Reprodução/CNET)

A queda nas vendas de PCs vem sendo sentida pela indústria desde o ano passado, com uma série de fatores influenciando o mercado e o interesse dos consumidores. Entre as razões da estagnação, há sugestões de que a baixa nas vendas seja um reflexo da crise econômica mundial e que os computadores pessoais perdem espaço para smartphones e tablets.

Para o analista financeiro Mark Moskowitz, da P.J. Morgan, os novos chips com arquitetura Haswell da Intel não serão capazes de reverter essa tendência do mercado e recuperar as vendas de computadores pessoais. De acordo com ele, as novas configurações Haswell poderão ressuscitar o interesse do consumidor por PC, mas não devem ser vistas como a salvação da lavoura.

Chips sem demanda

A arquitetura Haswell apresenta um novo sistema que aumenta o desempenho de processamento, especialmente na parte gráfica, e ainda reduz o consumo de energia, o que melhora a capacidade e o tempo de uso dos aparelhos. O modelo está destinado a equipar a próxima linha de notebooks ultrafinos e demais híbridos de laptop/tablet.

O novo conjunto de chips da Intel já está sendo entregue aos fabricantes para que os primeiros aparelhos com a nova tecnologia cheguem ao mercado no meio do ano. Ao mesmo tempo, o primeiro trimestre do ano registrou uma forte queda na demanda por componentes entre as montadoras, o que pode ter um efeito direto na indústria.

Moskowitz acha que a procura menor por peças e componentes de ponta pode obrigar as montadoras a elevar os preços de fabricação. O resultado disso seria uma reestrutura no modelo de negócio que pode chegar, na atualização de valores, ao consumidor final.

Cupons de desconto TecMundo: