(Fonte da imagem: Reprodução/Digital Trends)

A preocupação com a segurança dos dados que circulam pela internet nunca foi tão grande, especialmente após o escândalo causado pelas revelações de esquemas de espionagem de telefonemas e registros de internet por órgãos dos governos norte-americano e britânico. Agora é a vez do Facebook tomar medidas para aumentar suas defesas implementando a técnica do “Perfect Forward Secrecy” (“PFS” ou “Sigilo de Encaminhamento Perfeito”).

A tecnologia já existe há mais de 20 anos, mas foi evitada pela maior parte dos grandes sites. Enquanto o tráfego de sites não encriptados (HTTP) pode ser visto por qualquer pessoa capaz de interceptá-lo e sites “seguros” (HTTPS) utilizam um par de “senhas mestres” entre o servidor e os browsers dos usuários, o PFS cria chaves individuais para cada sessão e conexão.

Os guardiões das chaves

Desde 2011 o Google se tornou um dos poucos grande sites a implementar a técnica. Pouco tempo depois, o Bloomberg.com também entrou na onda. Ainda assim, outros portais e serviços online resistem à mudança, provavelmente por conta do impacto que a checagem individual tem na performance das páginas. Agora, é a vez do Facebook passar a fazer uso do PFS, segundo fontes do CNET.

Enquanto grandes empresas, sites e redes sociais como LinkedIn, Apple, Yahoo, AOL e Twitter permanecem afastadas desse tipo de tecnologia, outros serviços oferecem a opção para os usuários mais preocupados com o sigilo de seus dados. É o caso do Cryptocap, um aplicativo que promete permitir a troca de mensagem encriptadas entre seus usuários e que passou a utilizar o PFS recentemente.

Cupons de desconto TecMundo: