Privacidade é uma coisa bem difícil nos atuais moldes da internet. Com sites que rastreiam tudo e todos, o usuário precisa recorrer a softwares que tragam funcionalidades especiais para mascarar sua identidade online.

Tor Project é uma das principais iniciativas nesse sentido, mas parece que nem mesmo quem usa esse programa está mais a salvo. De acordo com a informação do Daily Dot, o FBI agora consegue identificar quem usa (e com quais finalidades) a rede do Tor.

Como isso é possível? Os agentes federais dos Estados Unidos têm a ajuda de Matthew Edman (imagem abaixo). E quem é esse sujeito? É o mesmo cara que ajudou a simplificar o Tor. Pois é. Numa manobra inesperada, o ex-desenvolvedor do Tor Project mudou de time e agora, além de não ajudar na privacidade das pessoas, resolveu tirar todos do anonimato.

Unindo forças à Operação Torpedo, com o objetivo de derrubar a Dark Net (uma rede envolvida com pornografia infantil), Edman criou um malware para o FBI, que é capaz de desmascarar os usuários que usam o Tor. Esse software criado pelo ex-integrante do Tor Project consegue identificar acesso a sites com esse tipo de conteúdo e revelar outros dados dos usuários.

Curiosamente, boa parte dos investimentos para o desenvolvimento do Tor Project vieram do governo americano. Agora, o governo está hackeando sua própria ferramenta. O problema é que, mesmo com boas intenções, tudo isso está gerando insegurança, já que até mesmo uma ferramenta confiável não pode mais entregar privacidade e segurança.

Você já usou o Tor alguma vez para navegar na internet? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: