Temendo protestos, empresas de tecnologia dispensam funcionários

1 min de leitura
Imagem de: Temendo protestos, empresas de tecnologia dispensam funcionários
Avatar do autor

Por temer confrontos, empresas dispensaram funcionários mais cedo. (Fonte da imagem: Reprodução/Filipe Araujo/AE)

Algumas empresas de tecnologia da zona sul de São Paulo dispensaram seus funcionários algum tempo mais cedo ontem (14), temendo que a onda de protestos que varre a capital chegasse à região do Morumbi. Algumas sedes de companhias como Vivo, Claro e HP orientaram seus empregados a largar o batente antes do fim do expediente.

A Rede Globo, apreensiva sobre o início de uma manifestação em frente à empresa, emitiu um comunicado aos funcionários da unidade de Rochaverá, mandando-os para as suas casas às 15h30. “Nosso objetivo é resguardar a segurança e o bem-estar de todos”, pode-se ler na carta. Um ato em frente aos portões da tal sede da emissora foi, de fato, organizado via Facebook; cerca de 200 manifestantes se reuniram por volta das 17h30 em grito uníssono, empostando a frase “Ô Rede Glogo, vai se f***. O meu Brasil não precisa de você!”.

Os protestos, iniciados nesta última semana contra o aumento das tarifas dos meios de transporte em São Paulo, são organizados em sua maioria via Facebook e Twitter. Outra manifestação em frente à Globo encabeçada pelo Movimento Passe Livre foi marcada para a próxima segunda-feira (17). “Não são apenas pelos 20 centavos”, é um dos argumentos dos ativistas, que colocam em xeque temas como corrupção, abuso de força policial, democracia, imparcialidade midiática entre outros.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Temendo protestos, empresas de tecnologia dispensam funcionários