Índia pede que YouTube tire documentário sobre estupro em Déli do ar

1 min de leitura
Imagem de: Índia pede que YouTube tire documentário sobre estupro em Déli do ar
Fonte: Quartz
Avatar do autor

O governo da Índia solicitou que o YouTube tire do ar todos os links para um controverso documentário a respeito de um estupro em grupo seguido do assassinato de uma mulher na cidade de Déli, ocorrido no final de 2012. Dirigido por Leslee Udwin, o filme teve sua transmissão proibida dentro do país e contém uma entrevista com Mukesh Singh, um dos quatro homens sentenciados à morte pelo abuso sexual e tortura à uma jovem de 23 anos.

Segundo comentários divulgados à imprensa, o condenado culpa a vítima pelo crime e afirma que as mulheres são mais responsáveis pelos estupros do que os homens que os perpetram. Depois que o canal BBC transmitiu o documentário intitulado “India’s Daughter” no Reino Unido na quarta-feira (4), tornou-se possível encontrar a produção em vários sites de vídeos online, incluindo o YouTube.

A diretora do documentário, Leslee Udwin

“Nós apenas encaminhamos a ordem judicial e pedimos que eles [o YouTube] obedecessem”, disse à Reuters um oficial do Ministério de Comunicações e Tecnologia da Informação da Índia. As afirmações de Singh no filme causaram furor nas redes sociais e reacenderam o debate sobre a desigualdade de gêneros na nação, que tem a terceira maior economia da Ásia.

Em cima do muro

Questionada sobre o assunto, uma representante da Google, proprietária do YouTube, afirmou que a empresa acredita que o acesso à informação é um dos fundamentos para uma sociedade livre. “Nós continuamos a remover conteúdos que sejam ilegais ou que violem nossas orientações comunitárias, assim que somos notificados”, acrescentou.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Índia pede que YouTube tire documentário sobre estupro em Déli do ar