(Fonte da imagem: Divulgação/EVGA)

Quem ficou impressionado com o desempenho da arquitetura Kepler da NVIDIA durante o lançamento da GeForce GTX 680, mas não gostou nem um pouco do preço, agora pode voltar a ter esperanças. A empresa anunciou o valor da nova GeForce GTX 660 Ti, que deve custar cerca de US$ 299 nos Estados Unidos (o equivalente a R$ 600).

Essa estratégia de preço coloca a placa na frente de sua principal concorrente, a Radeon HD 7950, da AMD. A GTX 660 Ti possui um hardware robusto: são 1.344 núcleos CUDA e um clock de 915 MHz, contando com o recurso GPU Boost que aumenta o valor do clock nos momentos em que a placa precisa de mais poder, além de poder ser utilizada em Triple-SLI. Ela conta ainda com 2 GB de memória GDDR5 e consome menos energia que sua irmã mais velha, a GTX 670.

Menos no Brasil

Contudo, no Brasil, a placa deverá ter o seu preço mais do que dobrado e custará R$ 1,4 mil — cerca de R$ 800 a mais do que custaria nos EUA. Se levarmos em consideração que, no Brasil, a AMD Radeon 7950 custa em média R$ 1,4 mil e a AMD Radeon 7970 custa R$ 1,8 mil, a vantagem na relação custo-benefício para quem compara os produtos no país é quase nula.

O contra-ataque

A estratégia de preço da NVIDIA parece estar assustando a AMD. A empresa já anunciou uma atualização de BIOS para a Radeon HD 7950 que promete aumentar a velocidade do clock de 800 para 850 MHz, além de adicionar um recurso chamado PowerTune, que aumenta o poder da placa quando necessário.

Nós já temos em mãos uma GeForce GTX 660 Ti e, em breve, faremos uma análise em vídeo completa da placa. Fiquem ligados!

Fonte: The Verge

Cupons de desconto TecMundo: