(Fonte da imagem: Reprodução/ZDNet)

Depois de a indústria fonográfica transformar a internet em sua maior inimiga, chegou a hora de fazer com que a dor de cabeça vire uma ferramenta no combate à pirataria. Várias gravadoras, como EMI, Sony e Universal, contrataram estudantes para que eles policiem a rede em busca de qualquer atividade ilegal.

Essa união deu origem ao proMedia, um grupo que faz uma varredura constante em sites de hospedagem, fóruns, blogs e até mesmo redes P2P para identificar qualquer tipo de distribuição irregular de conteúdo protegido. De acordo com fontes anônimas, já são mais de 30 pessoas participando dessas operações.

Mas por que as pessoas que tinham o costume de baixar arquivos na internet se voltaram contra sua própria prática? De acordo com Peter, um dos membros do proMedia, a pirataria afeta até mesmo quem não está dentro da indústria. Em entrevista ao site TorrentFreak, ele disse ser um músico que viu sua carreira estagnar após seus próprios amigos compartilharem as canções de seu disco em vez de comprá-lo.

No entanto, mais do que simplesmente localizar quem faz download de músicas e vídeos, esses “rastreadores” também podem ajudar a distribuir punições. Segundo o site ZDNet, as sanções possíveis vão desde multas até mesmo responder na justiça pelo que a pessoa fez.

Fonte: TorrentFreak, ZDNet

Cupons de desconto TecMundo: