Fonte de informação e entretenimento, a internet também serve como o meio para a divulgação ilegal de diversos materiais protegidos por direitos autorais. Ciente disso, a Google é uma das companhias que mais se empenha na criação de métodos que protejam criativos e a indústria em geral a proteger suas criações.

Nesta quarta-feira (13), a empresa divulgou uma atualização do relatório “Como o Google Combate a Pirataria”, que explica os programas, políticas e tecnologias que a empresa emprega para combater a divulgação ilegal de materiais. “Estamos comprometidos em investir nossos esforços para combater infrações de direitos autorais online e colaborar com os detentores de direitos para proteger seus interesses e o de nossos usuários”, afirma a companhia.

Entre as tecnologias destacadas pela empresa está o sistema Content ID, que dá aos detentores de direitos autorais a capacidade de reinvindicar seu conteúdo e escolher acompanhar, bloquear ou monetizar suas propriedades no YouTube. O sistema já pagou mais de US$ 2 bilhões desde seu lançamento, sendo que mais de 90% dos casos em que ele é utilizado resultam em monetização.

As ferramentas da empresa ajudam a barrar anúncios em sites com conteúdos ilegais

“Graças ao Content ID, o YouTube é a única plataforma que dá aos parceiros um mecanismo automatizado para monetizar uso de obras e covers”, afirma a organização em seu blog oficial. A loja Google Play também surge como uma solução para quem procura adquirir materiais originais, sejam eles músicas, livros, filmes, aplicativos ou jogos eletrônicos.

A Google também usa seu sistema de buscas para barrar acessos a sites com conteúdos ilegítimos e seu poder no campo da publicidade online para identificar e remover a publicidade das páginas relacionadas à pirataria. A companhia também trabalha com líderes do mercado para criar padrões e melhores práticas para a indústria da publicidade em lugares como os Estados Unidos, Reino Unido, Itália e Ásia.

Cupons de desconto TecMundo: