(Fonte da imagem: Reprodução/Mashable)

Aaron Swartz, um dos criadores do site Reddit, do sistema RSS e ativista contra o SOPA, cometeu suicídio em Nova York na última sexta-feira, dia 11. Swartz tinha 26 anos e, desde sua adolescência, trabalhava em projetos que mudaram a forma de consumo de conteúdo online.

Com 14 anos, Aaron foi um dos desenvolvedores do RSS, um recurso criado em linguagem XML que permite que donos de sites e blogs divulguem postagens recentes. Aos 15 anos, Swartz já havia feito parte do grupo que criou o creative commons.

Estudante da universidade de Harvard, Aaron Swartz também criou o Reddit, site de notícias baseado em compartilhamento social de conteúdo. No entanto, Swartz ganhou fama mundial ao ser acusado de hackear servidores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) para roubar mais de 5 milhões de artigos acadêmicos, em junho de 2011. O jovem também foi um dos criadores do site Demand Progress, que tinha como objetivo “obter mudanças nas políticas”.

Ativismo pelo conteúdo livre

A trajetória de Swartz também foi traçada com a luta para abrir ao público os registros legais e processuais dos Estados Unidos, formando uma das mais ativas resistências às propostas SOPA e PIPA.

Com 14 anos de idade, ao lado de Theodor Nelson e Douglas Engelbart (Fonte da imagem: Reprodução/Eugene Eric Kim)

Após sua morte, a família de Aaron culpou parcialmente os procuradores federais e a equipe do MIT pela depressão que levou o jovem a tomar tal atitude. O MIT então também publicou uma declaração, afirmando que a equipe sentia pela morte de Aaron e que uma investigação interna seria aberta para averiguar os acontecimentos desde o processo até a morte de Aaron.

Homenagens

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Em memória de Aaron, o grupo Anonymous deixou mensagens políticas em ao menos duas páginas do MIT. Os autores exigem a reforma da lei de direitos autorais e leis de propriedade intelectual dos Estados Unidos. Ao contrário da família, o grupo diz que o MIT não pode receber qualquer parcela de culpa pelo ocorrido e ainda pede desculpas ao MIT pelo uso do espaço para a divulgação da mensagem.

Além da homenagem do grupo Anonymous, Aaron Swartz foi homenageado no Twitter por pesquisadores e acadêmicos, com o uso da hashtag #pdftribute. Os tweets marcados com a hashtag trazem links para a distribuição livre de artigos acadêmicos em PDF.

Cupons de desconto TecMundo: