Na semana passada, um novo sistema inovador de ônibus elevado apareceu na China e fez com que muitos invejassem a engenharia do país. Estamos falando do TEB (Transit Elevated Bus).

O grande trunfo da invenção estava em permitir que os carros circulassem abaixo dele sem qualquer problema, trazendo boas soluções para o tráfego e para a mobilidade urbana.

Parece ótimo, não é mesmo? Certamente sim! Mas, infelizmente, há grandes chances de que tudo isso seja uma enorme mentira. E quem diz isso é a imprensa estatal chinesa, que emitiu um comunicado no final da semana passada.

A grande fraude

De acordo com o comunicado, os "testes de rua" publicados na semana passada não podem ser considerados testes reais. O TEB teria viajado por apenas 300 metros e isso sem a presença de tráfego real — ou seja, nada do que seria existente em situações reais.

Mais do que isso, é preciso dizer que os responsáveis pelo sistema nem ao menos informaram as autoridades sobre os testes que seriam realizados. E essa "falta de comunicação" pode ter sido deliberada por parte dos criadores do TEB.

Órgãos da imprensa chinesa apontam para irregularidades nos testes e na apresentação do projeto

Há a informação de que os veículos na China não poderiam ter mais do 4,5 metro de altura, algo superado pelo TEB. Também há o fato de que o peso dele está acima do que as estradas suportam e surge, por fim, a necessidade de trilhos — o que faz dele um trem, não um ônibus.

Depois de tudo isso, também há uma questão que deve ser levantada: "Como os TEBs fariam curvas sem atrapalhar o trânsito e sem causar acidentes?

Mas pra quê?

Órgãos da imprensa chinesa estão afirmando que o TEB é uma grande farsa que foi criada para atrair investidores, sem a garantia de retorno. O projeto utiliza um sistema de investimentos P2P — no qual a companhia online encontrar potenciais patrocinadores, com promessas altas e garantias baixas.

Ainda é cedo para que possamos ter certeza que se trata de uma fraude para conseguir dinheiro de investidores desavisados. Vale a pena ficarmos ligados para saber se há mesmo um projeto em desenvolvimento... Você faria alguma aposta?