Donald Trump segue uma campanha agressiva nos EUA e, como não podia ser diferente, os seguidores do empresário norte-americano acabam pegando ainda mais pesado na internet. Ao contrário de milhões de pessoas que defendem políticos com unhas e dentes sem ganhar um tostão por isso, uma boa parte dos seguidores de Donald Trump são financiados para cometerem atos de "shitposting" na internet. Ou seja: inundar a web com postagens que criam lixo e incitam o ódio.

Um dos fundadores desses trolls de Trump é Palmer Luckey, dono da companhia de realidade virtual Oculus Rift. De acordo com o próprio ao The Daily Beast, ele utiliza sua reserva financeira pessoal para fundar a criação de memes, por exemplo, que batem na concorrente de Trump, Hillary Clinton.

Shitposting é a falta de habilidade em desenvolver uma postagem construtiva

Ao jornal, Palmer Luckey afirmou que doou "fundos significantes" para o grupo Nimble America. O Nimble America se descreve como uma organização sem fins lucrativos dedicada ao "shitposting" na vida real.

"Shitposting" é a falta de habilidade de uma pessoa ou um grupo em desenvolver uma postagem ou um argumento construtivo. São textos e imagens que não adicionam informação útil e, normalmente, envolvem assuntos sensíveis. Ou seja, são um desserviço para qualquer pessoa desinformada — vemos muito disso por aí, não?

Palmer Luckey

Money, money, money

A Oculus Rift foi comprada pelo Facebook por cerca de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 6 bilhões). Dessa quantidade, acredita-se que Palmer tenha ficado com US$ 700 milhões (cerca de R$ 2,2 bi). "Eu abordei com grupo com a frase: 'hey, eu tenho uma boa quantidade em dinheiro. Gostaria de ver mais dessas coisas", comentou o inventor da Oculus.

Luckey também afirmou que apoia as ambições presidenciais de Donald Trump "há anos". Um dado interessante é que o vulgo utilizado por Luckey ao postar em fóruns da Nimble America é "NimbleRichMan", ou como "Homem Rico da Nimble". Com esta alcunha, ele também escreveu o seguinte:

Palmer Luckey, agora, trabalha para o Facebook

"A revolução norte-americana foi fundada por indivíduos ricos. Você não pode lutar contra a elite americana sem um verdadeiro poder de fogo. Eu tenho bastante dinheiro, e dinheiro não é o meu problema."

Ao Daily Beast, a Nimble America comentou que havia levantado cerca de US$ 11 mil antes de seu lançamento. Desse dinheiro, Dustin Ward, fundador da Nimble, disse que a maioria foi utilizada para pagar advogados. Por outro lado, uma declaração financeira da organização mostra que cerca de US$ 9,3 mil foram gastos em propaganda no Facebook e cartazes — outros gastos incluem coisas como "operações de website".

Vale notar que Palmer Luckey, agora, trabalha para o Facebook. Então, assim que houver alguma declaração da equipe de Mark Zuckerberg, atualizaremos a notícia.

Perdendo parceiros

Revolta de desenvolvedores

Muitos desenvolvedores de programas e jogos em realidade virtual anunciaram que vão parar de oferecer suporte para o Oculus Rift por causa da atitude de Palmer Luckey, mostrando que a notícia não caiu bem para o fundador da companhia de VR.

"Estou abandonando o suporte de Tower Underwold Online V ao Oculus por causa das políticas de Palmer Luckey", comentou uma desenvolvedora. "Hey, Oculus. As ações de Palmer Luckey são inaceitáveis. A Newton VR não vai mais dar suporte ao Oculus Touch enquanto ele estiver trabalhando aí", disse outro desenvolvedor. A Scruta Games também twittou sobre o assunto: "Até que Palmer Luckey desista de sua posição na Oculus, não cancelaremos o suporte para os nossos games".

HTC Vive é alternativa

Uma das maiores desenvolvedoras parceiras, a Northway Games, ainda não forneceu uma declaração oficial. Porém, o fundador da empresa twittou que está "definitivamente usando toda a fibra de seu 'profissionalismo' para não escrever algo sobre isso agora".

Hoje, o mercado de realidade virtual ainda não está completamente estabelecido, mas já existem alternativas ao Oculus Rift, como o HTC Vive, e você pode saber mais sobre ele aqui.

Cupons de desconto TecMundo: