O NVIDIA Tegra X1, o primeiro “superchip” mobile do mundo, deu as caras na CES 2015 e surpreendeu a todos com seus números impressionantes. Com 256 núcleos gráficos e 8 núcleos de processamentos, esse componente é capaz de atingir até 1 teraflop de processamento, uma marca espetacular segundo o CEO da NVIDIA, Jen-Hsun Huang.

Porém, já que o próprio figurão acredita que o Tegra X1 é “forte demais” até para os smartphones atuais, quão poderoso esse componente realmente pode ser? Para responder a esse questionamento, testes realizados pela própria companhia compravam a superioridade da unidade sobre o seu antecessor e sobre o tablet atualmente considerado o mais avançado: o iPad Air 2.

Lavada sobre o chip A8X do iPad Air 2

Como podemos ver na imagem acima, os testes conduzidos pela própria NVIDIA mostram que o Tegra X1 consegue dar uma lavada no chip A8X que equipa o iPad Air 2. Os resultados revelam o dobro de performance em alguns benchmarks, permanecendo com uma média de 40% acima do concorrente nas avaliações feitas.

Além disso, vale mencionar que o Tegra X1 é construído com o processo de fabricação de 20 nanômetros, o que confere uma maior eficiência energética ao componente. Segundo os testes da NVIDIA, o componente da companhia dá mais uma “pataca” nas marcas do concorrente.

Apesar dos resultados comparativos, a companhia já afirmou que o seu foco não é o mercado de dispositivos móveis. Dando atenção à tecnologia automotiva, a NVIDIA pretende apostar nesse seguimento e se tornar uma das pioneiras nesse mercado. De qualquer forma, vale a pena ficar de olho e prestar atenção cada vez que o nome “Tegra X1” aparecer por aí.

Cupons de desconto TecMundo: