Se você, assim como eu, estava achando que carro autônomo MESMO e relativamente "popular" – ou seja, não um Tesla – era algo que aconteceria só daqui a uns 5 anos, a Nissan acaba de surpreender: eles anunciaram que a sua nova minivan, chamada de Serena, já virá com o sistema ProPILOT, que conta com tecnologias de direção, frenagem e aceleração autônomas.

O veículo será o primeiro japonês a chegar com a funcionalidade e foi projetado para as rodovias do país. Apesar de não conseguir efetuar mudanças de faixas, função que deve chegar apenas em 2018, o sistema é capaz de fazer curvas, manter a velocidade – entre 30 km/h e 100 km/h – e a distância para o veículo a frente, trafegar centralizado na pista, frear até parar e retomar a aceleração.

Para isso, ele vem equipado com um conjunto de câmeras e radares feitos pela empresa israelense MobileEye, que também é fornecedora do Tesla AutoPilot e de sistemas semiautônomos usados por GM, BMW e Volvo.

As imagens são captadas e processadas por um software para reconhecimento tridimensional de distância para outros veículos e marcação de faixas na pista. A partir daí, é só deixar o cérebro eletrônico se encarregar de dirigir, graças à integração de componentes elétricos na direção, nos freios e nos aceleradores.

Todas as possibilidades atuais do que o ProPILOT pode fazer

Com base no plano de "Zero emissão" e "Zero fatalidade" da Nissan, o ProPILOT é capaz de atuar em situações de emergência também: seja numa frenagem brusca do veículo à frente ou numa fechada, o sistema consegue reagir de forma rápida e eficiente.

A montadora nipônica pretende criar uma versão da tecnologia para as cidades até 2020, que será capaz de lidar com cruzamentos e outras situações encontradas no trânsito do dia a dia.

Não há qualquer previsão, no entanto, de que o Nissan Serena dê as caras aqui no Brasil tão cedo.

Cupons de desconto TecMundo: