(Fonte da imagem: Reprodução/Android Police)

A Google anunciou ontem (27), durante a conferência Google I/O 2012, o lançamento do seu primeiro modelo de tablet, o Nexus 7. Com configurações atraentes que podem até mesmo competir diretamente com os principais concorrentes do mercado, o que mais chamou a atenção do público foi o preço de venda nos Estados Unidos: apenas US$ 199, o equivalente a R$ 400, sem impostos.

A aposta é bastante simples e pode funcionar. A Google não está preocupada em ter o hardware mais moderno do mercado. O que a empresa busca é uma configuração eficiente que rode tudo o que estiver disponível na atualidade, ainda que possa perder em critérios de velocidade e potencial gráfico para outros aparelhos.

O chipset Tegra 3, por exemplo, não é o mais avançado que existe, mas é uma das versões mais baratas anunciadas pela NVIDIA neste ano. Isso significa que 1 GB de memória para o tablet é mais barato que as memórias DDR3L, usadas em PCs.

Contudo, o maior diferencial da empresa está em sua proposta para o tablet. A maioria dos fabricantes, por exemplo, obtêm a maior margem de lucro sobre o hardware do produto. A Google não está interessada nele e quer, principalmente, mais pessoas usando Android e os seus serviços. Ou seja, o tablet não é um fim, e sim um meio para se alcançar outro objetivo.

Fonte: SlashGear

Cupons de desconto TecMundo: