O serviço de streaming Netflix rebateu as críticas feitas por operadoras que sugeriram que a ferramenta não se preocupa com a legislação brasileira e nem mesmo com todos os impostos.

Rafael Sgrott, da Vivo, chegou a sugerir que a empresa não se preocupava e nem pagava taxas como o ICMS (Imposto de Circulação de Mercadoria e Serviços). A sugestão é de uma maior regulação fiscal que culminaria, claro, no aumento de tributos a serem pagos pela Netflix.

Em nota, o serviço esclareceu o assunto e afirmou que está em dia com todas as taxas necessárias para que a ferramenta opere na legalidade no Brasil.

“A Netflix Brasil está baseada no Brasil e paga todos os impostos devidos. Sobre o Condecine, aguardamos para trabalhar com a Ancine enquanto eles discutem sobre os serviços de VOD e OTT”, diz o comunicado.

O segundo trecho da mensagem diz respeito à possibilidade da Agência Nacional de Cinema regular também a ferramenta e incluir serviços de Video On Demand e Over The Top na obrigatoriedade de exibição de uma parcela de conteúdo de origem nacional, por exemplo.

Até quanto você pagaria pela assinatura do Netflix? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: