Se você acompanhou as notícias divulgadas nas últimas semanas, certamente deve se lembrar do filme “A Entrevista” (“The Interview” no original). Após trazer algumas dores de cabeça para a Sony – caso precise refrescar a memória, houve até uma ameaça que fazia referência aos atentados de 11 de setembro de 2001 – e despertar a curiosidade de muitas pessoas, foi anunciado que ele estará no Netflix a partir do próximo sábado (24). 

Em um comunicado feito pela Netflix na última terça-feira (20), foi mencionado que o filme estará disponível para aqueles que moram nos Estados Unidos e no Canadá. Nada foi dito sobre o Brasil, mas há uma chance de que ele acabe integrando a relação de títulos de quem mora em terras tupiniquins em algum momento do futuro. 

Renda gerada 

Algumas horas antes do anúncio feito pela equipe do Netflix, também foi mencionado pela Sony que, após um investimento de US$ 44 milhões na produção do filme, ele retornou US$ 46 milhões para os cofres da empresa, sendo US$ 40 milhões vindos de aluguéis em serviços sob demanda e US$ 6 milhões de cinemas. 

“Sempre dissemos que gostaríamos de levar o filme à maior audiência possível. Chegar à casa de US$ 40 milhões em vendas digitais é uma marca significativa”, explicou Michael Lynton, diretor-executivo da Sony Entertainment. 

Enredo que (quase) custou caro 

Se a essa altura do campeonato você ainda não faz muita ideia do enredo de “A Entrevista”, trata-se de uma comédia estrelada por Seth Rogen e James Franco. No filme, eles são os responsáveis pelo programa “Skylark Tonight” que acabam contratados pela CIA para assassinar Kim Jong-un, líder supremo da Coreia do Norte.

Entretanto, parece que essa história não caiu no gosto de alguns, e o próprio FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos da América, chegou a acusar formalmente a Coreia do Norte de ter invadido os servidores da Sony. 

Cupons de desconto TecMundo: