Pouco mais de dois meses após a Netflix estrear seu sistema que permite realizar o download de séries e assisti-las offline, a companhia está sendo processada por um “troll de patentes”. A responsável pela ação é a Blackbird Technologies, empresa que não possui qualquer produto ou recurso além de patentes em seu portfólio.

Além da Netflix, a companhia abriu processos contra nomes como Soundcloud, Vimeo, Starz, Mubi e Studio 3 Partners — todos oferecedores de alguma espécie de ferramenta de download. A patente usada como base para a ação tem o número 7.174.362 e cobre diversos “métodos e sistemas de duplicação de dados digitais”, já tendo sido usada no passado como base para litigações contra a “Target Ticket” e a “DirecTV Everywhere”.

Criada em 2000, a patente foi desenvolvida de forma a abranger o processo de gravação de conteúdos em CD-Rs

Criada em 2000, a patente foi desenvolvida de forma a abranger o processo de gravação de conteúdos em CD-Rs que, posteriormente, seriam enviados através de caixas postais. O objetivo original de seu criador, Sungil Lee, era garantir direitos sobre um serviço que permitia que pessoas gravassem conteúdos em um CD através da internet e o recebessem em casa em um processo que não envolvia qualquer interação humana.

Os direitos sobre a patente foram vendidos em 2011 para a Innovative Automation LLC, uma troll de patentes que reinterpretou as intenções de Lee e voltou o registro ao mundo digital. Vale notar que a patente foi registrada na época em que a Netflix já estava explodindo sua popularidade ao oferecer um serviço de entrega de DVDs por email, o que deve ajudar a tornar a nova disputa especialmente interessante.

Cupons de desconto TecMundo: