O primeiro estágio de um foguete Long March 4C caiu sobre o telhado de uma casa na província de Shanxi, na China, na última sexta-feira (28). A aeronave decolou supostamente para colocar o satélite espião Yaogan-27 em órbita. O lançamento foi feito pelas autoridades chinesas a partir do Centro de Lançamento de Taiyuan.

Segundo o site de notícias SineDefense, o motor da primeira fase é que atingiu a residência. Não se sabe onde os demais detritos do CZ4 caíram. O YF-20  (aquele que se desprende do foguete no momento do lançamento) pesa quase três toneladas e, apesar de ter acertado em cheio o teto da casa, não deixou feridos.

Não é a primeira vez que partes de um foguete caem sobre território civil na China. Em janeiro deste ano, por exemplo, o bico do Long March 3A acertou uma estrada rural na cidade de Fuquan, na província de Guizhou. Lançado a partir do Centro Espacial de Xichang, a nave carregava o satélite meteorológico Fengyun 26.

Mas por que, afinal, peças de foguetes insistem em cair sobre cidades chinesas? Acontece que as instalações espaciais do país estão localizadas em regiões do interior, cercadas por áreas rurais. EUA e Japão, por exemplo, fazem seus lançamentos a partir de bases edificadas em costas, o que garante a maioria das quedas dos motores de fases sobre o oceano.

Satélite espião?

Segundo a agência estatal de notícias Xinhua, o Yaogan-27 entrou em órbita em segurança. O lançamento do foguete Long March 4C não foi anunciado previamente, e pouco ainda se sabe acerca do satélite enviado ao espaço.

Pode ser que uma nova série de satélites para vigilância e reconhecimento tenha sido inaugurada. Segundo o governo chinês, o equipamento será usado para “experimentos, mapeamento de regiões, estimativas de culturas [plantações] e para prevenção a desastres”.

Satélites para vigilância são colocados em órbita "em segredo"? Comente no Fórum do TecMundo