A sonda Philae, da Agência Espacial Europeia (ESA), fez história quando pousou na superfície do cometa Tchouri 67P em 12 de novembro de 2014. No entanto, a missão não saiu exatamente como prevista. Devido a uma falha nos arpões que deveriam fixá-la à superfície do corpo, a sonda acabou quicando pelo menos três vezes e caindo em uma região pouco iluminada do cometa.

A baixa exposição dos painéis à luz solar fez com que a bateria de Philae não fosse suficiente para manter as operações, obrigando a nave a hibernar. Todos esses problemas, entretanto, não desanimaram os investigadores, que estimam que pelo menos 80% das pesquisas iniciais planejadas foram concluídas.

Além disso, os problemas com a baixa gravidade do cometa 67P incentivaram os engenheiros do projeto  a trabalhar em um novo protótipo mais adequado às condições que a maioria dos corpos celestes de pequeno tamanho oferecem.

O novo veículo, que está sendo informalmente chamado de “Hedgehog” (Ouriço), terá várias pernas emborrachadas que o ajudarão a rolar e quicar pela superfície do asteroide ou cometa. O projeto também é significativamente mais simples e barato que o Philae, o que poderia permitir que vários desses robôs fossem enviados simultaneamente para explorar.

Pelo menos por enquanto, não há nenhum projeto oficial da NASA ou da ESA para o “Hedgehog”, mas o fato de a Agência Espacial Americana estar investindo em novos tipos de veículos especializados revela que os cientistas têm a intenção de continuar investigando mais de perto outros cometas e asteroides.

Cupons de desconto TecMundo: