Você conferiu, no mês passado, uma tabela com as estimativas de lançamento dos SoCs (System on a Chip) da NVIDIA, em especial o potente Tegra 3.  Pois parece que a tabela realmente será cumprida, já que a empresa anunciou, durante a MWC 2011, um novo processador quad-core.

Conhecido internamente como Kal-El, em uma referência mais do que “desacarada” ao Superman das histórias em quadrinho, o System on a Chip conta com núcleo quádruplo e poder de processamento dobrado em relação ao Tegra 2, recém lançado. Além disso, ele deve triplicar a qualidade gráfica de vídeos e jogos, suportando inclusive conteúdo em três dimensões.

Durante o congresso, a empresa demonstrou toda a potência do processador em um stream de 2560x1440 pixels sendo codificado em um dispositivo, a seguir enviado para um televisor em escala nativa de resolução de 1366x768 pixels. Para completar, o vídeo também foi visualizado em um monitor de 30 polegadas com resolução 2560x1600p. Isso sem mostrar nenhum sinal de cansaço, ou seja, digno de quem possui superpoderes.

Na segunda demonstração, tanto o processador Tegra 2 quanto o Kal-El rodaram o game Great Battles Medieval em 720p, com 650 inimigos em pleno ataque. Isso foi mais do que simples para o novo processador da NVIDIA, que conta com 12 núcleos em sua GeForce GPU.

Possivelmente, o Kal-El deve ser lançado oficialmente como Tegra 3, descrito na tabela que vazou em janeiro. E se você acha que a bateria será a grande prejudicada nessa história toda, a empresa afirma que tudo está mais eficiente e que o computador terá até 12 horas de visualização de vídeo (em circunstâncias apropriadas).

A NVIDIA deve seguir a linha dos superpoderosos com os SoCs Wayne (Bruce Wayne) em 2012, Logan (Wolverine) em 2013 e Stark (Homem de Ferro) em 2014, de acordo com o gráfico da própria empresa.  

NVIDIA

Roadmap NVIDIA (Fonte da imagem: Divulgação/NVIDIA)

Os primeiros produtos a contar com o processador cinco vezes maior que o Tegra 2 serão os tablets (em meados de agosto) , enquanto smartphones devem aguardar até o final por um processamento um pouco mais simplificado, mas não menos potente.