Em entrevista para o site Engadget, o vice-presidente sênior de software da Motorola, Seang Chau, falou sobre as atividades da empresa, seus novos recursos, novas abordagens de marketing para seus aparelhos e o posicionamento da companhia em relação ao sistema operacional da Google, entre outras coisas.

Ao ser questionado como a Motorola se destaca entre outras companhias no quesito software, ele afirmou que isso “é algo que tem tomado o tempo deles. Uma coisa interessante sobre o ecossistema mobile é que 90% dos smartphones que são vendidos trabalham com Android e, quando todo mundo está usando esse sistema, a Google basicamente eleva o nível da disputa o tempo todo. Eles continuam acrescentando mais recursos, não apenas na plataforma Android, mas aos serviços mobile”.

Nós também temos nossos serviços, como o Moto Voice, e vamos continuar nos focando nesse tipo de recurso.

“Como líder de software da Motorola, estou tentando não competir com o Android. O que realmente capacita esse software que está dominando o mundo é o hardware fantástico. Nós também temos nossos serviços, como o Moto Voice, mas essas coisas não podem ser copiadas, a não ser com o risco de esgotar a bateria do aparelho. Vamos continuar nos focando nesse tipo de recurso”.

Interatividade tem que ser inteligente

Quando o assunto foi o modo como as pessoas interagem com seus aparelhos celulares nos dias de hoje, Seang Chau disse: “O processamento de linguagem natural é o caminho para o futuro das buscas e dos recursos dos smartphones. A Cortana e o Google Now estão no caminho certo. O aparelho deve ser capaz de saber se estou falando com ele ou com outra pessoa e, se o comando fizer sentido, ele pode executá-lo. Para nós, trata-se ainda mais de contexto, de modo que o dispositivo entenda a condição do usuário e não o interrompa inconvenientemente”.

O vice-presidente creditou as novas estratégias mais próximas do consumidor às barreiras impostas pelas operadoras telefônicas.

Quanto à abordagem de marketing dos aparelhos da marca, o vice-presidente creditou as novas estratégias mais próximas do consumidor às barreiras impostas pelas operadoras telefônicas, que engessavam uma porção de ações que a Motorola tinha intenção de realizar.

Com um direcionamento que não propicia o subsídio de aparelhos por parte das operadoras, fica mais fácil para o consumidor fazer negócios com aquela que oferece a melhor proposta. Isso também dá liberdade para a empresa fazer, por exemplo, seus upgrades e updates quando quiserem, pois não precisam mais aguardar a luz verde de uma companhia telefônica para tal.

Dispositivos direcionados para o consumidor

Assim, não haverá mais versões “travadas” de aparelhos, e um exemplo desse passo é o novo Moto X Style, que nos Estados Unidos estará à venda exclusivamente pela internet e na rede americana de eletrônicos Best Buy. Assim, sem o negociante intermediário, a Motorola pode oferecer preços melhores para o consumidor final.

Cupons de desconto TecMundo: