Na última quinta-feira (12), a Corte Regional de Mannheim determinou que a Motorola infringiu uma patente pertencente à empresa alemã de engenharia LPKF Laser & Electronics. A patente violada é relacionada ao processo de fabricar antenas complexas para smartphones e tablets e foi usada tanto no produto Motorola Moto X quanto no Motorola Moto G.

Como resultado da decisão judicial, a Motorola Deutschland e Motorola Mobility U.S. foram obrigadas a parar de vender na Alemanha aparelhos que se enquadrassem nessa infração. Também foi ordenado à Motorola Deutschland que ela fizesse, a partir dos consumidores, o recall de todos os dispositivos envolvidos na quebra da patente. Ambos as rés foram obrigadas a pagar uma indenização à LPKF, mas as empresas ainda podem recorrer ao veredicto.

Contornando a situação

A Motorola trouxe uma solução alternativa para manter a comercialização dos dois modelos na Alemanha, sugerindo que as peças relacionadas à violação sejam substituídas por componentes da fonte que tem sido fornecedora para os aparelhos que estão sendo lançados atualmente. Isso permitiria com que o Moto X e Moto G continuassem a ser comercializados no país.

Em uma declaração oficial, a empresa afirmou: “A Motorola tem tomado as medidas para impedir a interrupção das vendas ou recall dos aparelhos através da utilização de componentes de uma fonte autorizada, da qual os celulares já tem se utilizado atualmente”.

Entretanto, ainda que tenha trazido uma solução válida, a companhia provavelmente terá que apelar à decisão para que a LPKF não peça que as mesmas medidas sejam aplicadas ao redor do mundo.

A Motorola, agora subsidiária da gigante chinesa Lenovo, foi adquirida pela Google por US$ 2,91 bilhões no início de 2014. A infração envolvendo o Moto X e Moto G foram eliminadas durante o rápido período de posse da Google.

Cupons de desconto TecMundo: