ASUS MX279H (Fonte da imagem: Divulgação/ASUS)

Recentemente, publicamos um artigo relatando alguns detalhes que você deve considerar na hora de comprar uma televisão para a jogatina de próxima geração.

Agora, com a notícia do PS4 por 4 mil, o número de jogadores que vai apostar em um novo console se reduziu consideravelmente e a quantidade de pessoas interessadas em um PC gamer aumentou muito.

Pensando nisso, resolvemos trazer algumas dicas para você comprar um novo monitor para seu computador gamer. Vale notar que não vamos focar diretamente em sugestões de um ou outro produto, pois a ideia é pensar principalmente nas especificações.

Tipo do painel: TN, VA ou IPS?

As fabricantes de televisores costumam apostar em duas tecnologias de painel: LCD e Plasma (as TVs de LED contam com painéis de LCD). No caso dos monitores, as empresas raramente optam por investir em Plasma. Todavia, nem todos os displays contam com o mesmo tipo de tecnologia LCD.

LG IPS237L (Fonte da imagem: Divulgação/LG)

Atualmente, há monitores de três tipos: TN (Twisted Nematic), VA (Vertical Alignment) e IPS (In-Plane Switching) — não incluímos o LED, pois ele é usado apenas na retroiluminação do painel. Apesar de realizarem a mesma tarefa, cada uma dessas técnicas de reprodução apresenta resultados diferentes. Vamos conferir essas diferenças e qual é a melhor.

Twisted Nematic (TN)

Esse tipo de painel é o mais antigo e também é o mais comum. Geralmente, as fabricantes apostam nesta tecnologia por conta do preço reduzido. Os monitores mais baratos, em sua grande maioria, trazem esse tipo de painel.

Falando em barato, parece que estamos dizendo que essa tecnologia é de baixa qualidade, mas, na verdade, não é bem assim. A principal vantagem dele é o baixo tempo de resposta (algo fundamental para a jogatina).

HP W2408H (Fonte da imagem: Reprodução/Amazon)

Todavia, modelos com painel TN não apresentam bons resultados quanto à reprodução de cores (parece que as imagens ficam desbotadas). Outros defeitos são o contraste razoável (que impossibilita a perfeita distinção entre tons claros e escuros) e a distorção do conteúdo em ângulos muito extremos (é difícil aproveitar algo visualizando a tela a mais de 160 graus).

Vertical Alignment (VA)

Os painéis do tipo VA possuem características bem distintas do que vemos nos TN. Eles possuem capacidades para reproduzir cores vivas e os mais altos níveis de contraste. Tais detalhes resultam em excelentes imagens durante a reprodução de vídeos e imagens.

Os ângulos de visão são bons, superando facilmente o que temos em painéis TN. Contudo, monitores com esse tipo de tecnologia não são recomendados para a jogatina por conta dos altos  tempos de resposta.

LG L246WP (Fonte da imagem: Reprodução/Newegg)

Uma maneira fácil de identificar esse tipo de tela é dar um pequeno toque nela. Ao fazer isso, um pequeno rastro aparece no display e ele desaparece lentamente (algo que não acontece em outros tipos de painel). Claro, isso não é válido para monitores que tenham películas ou vidros protetores na parte frontal.

In-Plane Switching (IPS)

Para finalizar, temos os painéis LCD com tecnologia IPS. Esses modelos são bem comuns no Brasil e ficaram bastante conhecidos pela alta fidelidade na reprodução de cores. Além dessa vantagem, essas telas possuem as melhores regulagens de contraste. Entretanto, a reprodução de níveis de preto geralmente é inferior à que vemos em painéis do tipo VA.

A principal vantagem dos monitores IPS está na possibilidade de visualizar conteúdos com ângulos extremos (beirando os 180 graus). O tempo de resposta dessas telas geralmente é superior ao que encontramos em painéis VA, mas inferior ao das telas com tecnologia TN.

Qual devo escolher?

Cada fabricante realiza melhorias, o que impede uma comparação simples e direta. Conforme comentamos acima, as telas TN são as mais recomendadas para a jogatina, por conta do baixo tempo de resposta. Todavia, isso não quer dizer que você tenha de optar por uma tela desse tipo, até porque a qualidade das cores talvez não satisfaça seus desejos.

AOC E2440V (Fonte da imagem: Divulgação/AOC)

Há monitores IPS e VA com diferentes recursos que podem ter alto desempenho em games e proporcionar ótimos níveis de contraste e cores nítidas. Assim, recomendamos que você consulte as especificações técnicas e algumas análises para ter maiores detalhes sobre os monitores que você pretende adquirir.

Tempo de resposta, RTC, input lag e taxa de atualização

Agora que você já conhece um pouco sobre os tipos de painel, vamos falar sobre a principal especificação para jogatina: o tempo de resposta. Se você entrar em uma loja de eletrônicos ou acessar um site que venda monitores, vai se deparar com vários modelos que contam com tempos de resposta inferiores a 8 ms (alguns chegam a 2 ms).

Olhando apenas esse número, parece que todos dão conta de reproduzir qualquer game — e evitar o tão temido efeito fantasma —, mas nunca acredite em tudo que uma fabricante diz sobre seu produto. De fato, o número apresentado pode até ser uma especificação verdadeira, porém isso não quer dizer que seu monitor terá um tempo de resposta tão baixo.

Números que nem sempre dizem a verdade (Fonte da imagem: Reprodução/Display Lag)

A grande verdade é que o tempo de resposta é um número de referência que serve para você ter noção de quanto tempo o display demora a mudar a cor de um pixel de preto para branco. Contudo, algumas fabricantes usam a especificação do tempo de mudança de cor em escala de cinza.

Qual a diferença? Bom, demora menos para que um pixel mude de um tom de cinza para outro, o que significa que a especificação não revela o verdadeiro tempo de resposta (que seria do pixel branco para o preto). O consumidor não leva vantagem ao conhecer um dado falso, mas a fabricante vende mais produtos.

Bom, ainda falando sobre o tempo de resposta, devemos notar que algumas fabricantes usam algumas técnicas para compensar fato. É aqui que entra o RTC (compensação de tempo de resposta), recurso que ajuda a reduzir o efeito fantasma e os borrões na tela. Nem todo RTC funciona bem, por isso vale conferir algumas análises antes de comprar seu monitor.

O tempo de resposta é um dado importante, mas, no fundo, para os jogadores mais exigentes, o que realmente importa é o input lag. Normalmente, as fabricantes não oferecem tal informação, mas você pode encontrá-la em sites especializados. O input lag é o atraso, em milissegundos, que existe entre o recebimento, processamento e exibição do sinal de vídeo.

Lenovo LI2321S (Fonte da imagem: Reprodução/Amazon)

Para quem leva a jogatina a sério (principalmente no caso de jogos de FPS), vale buscar um monitor que tenha um input lag abaixo de 20 ms. Monitores com input lag de até 40 ms ainda podem proporcionar bons resultados, mas é possível notar alguns atrasos. Recomendamos uma consulta à tabela do site Display Lag.

Para finalizar, ainda temos a taxa de atualização. O ideal para jogos é optar por uma tela com 120 Hz (para games 3D vale a mesma coisa). É importante ficar ligado para não adquirir uma tela com taxa de atualização enganosa, que reproduz a 240 e 480 Hz, quando na verdade trata-se de um display que tenta prever os frames e nem sempre mostra resultados melhores.

Resolução, conexão e proporção

Quem já possui um PC gamer poderoso, geralmente não se importa muito com a resolução do monitor, pois sua máquina dá conta do recado mesmo quando o jogo está configurado para rodar em 2560x1600 pixels. Acontece que nem todo mundo tem um computador tão poderoso, por isso é importante pensar bem antes na hora de adquirir seu novo monitor.

Você deve estar pensando o que uma coisa tem a ver com a outra? Bom, os jogos possuem configurações para você mudar a resolução, mas isso não quer dizer que o resultado visível seja agradável. Todo monitor tem uma resolução nativa (que é a resolução máxima). Se você executa um conteúdo abaixo dessa resolução, a chance de distorção é grande.

(Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Jogadores que não são muito exigentes não vão se importar muito com isso, mas quem busca o máximo em qualidade precisa adquirir um monitor adequado a seu computador. Isso quer dizer que, se a sua placa de vídeo não consegue rodar jogos a 1080p, talvez não seja tão útil adquirir um monitor Full HD (claro, uma atualização no hardware resolve o problema).

A regra é simples: se sua placa de vídeo é simples e roda games a 720p, pode optar por um display mais simples, afinal, não adianta rodar um jogo a 1080p sem filtros, efeitos e outros recursos que deixam os visuais mais bonitos. Caso sua placa aguente rodar os games em 1080p, então pode comprar um display Full HD.

Outro detalhe importante para ficar ligado é a conexão de entrada. Normalmente, o HDMI e o D-Sub dão conta do recado para resoluções de até 1080p. No caso do 3D, dependendo da versão do HDMI e do cabo, pode ser que a imagem seja reproduzida em 720p — são limitações de hardware. Para resoluções maiores, vá de DisplayPort ou DVI dual-link.

(Fonte da imagem: Reprodução/Belkin)

A maioria dos monitores disponíveis no Brasil conta com proporções 16:9 ou 16:10. Para jogos, recomendamos a proporção 16:9, visto que você pode aproveitar tanto os jogos de PC (que geralmente podem rodar em 16:10) e os de video game. Contudo, a proporção 16:10 pode ser interessante para outras atividades no computador.

Cores, contraste, retroiluminação e revestimento

Como estamos tratando de monitores para games, a fidelidade e a profundidade de cores não são tão importantes (isso vale mais para a edição de imagens). Recomendamos a compra de monitores 8 bits (que reproduzem 16 milhões de cores) ou displays de 6 bits com FRC (que têm a mesma capacidade). Uma tela de 10 bits não vai melhorar em nada o seu jogo.

Outra dúvida pertinente ligada a essa questão da cor surge na questão do contraste. Afinal, vale a pena atentar para o contraste dinâmico ou para o estático? Para ser sincero, de nada adianta ter um contraste dinâmico (que controla a luz de retroiluminação) de 1 bilhão:1, pois na prática não há como alcançar essa taxa absurda e enganadora.

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Cnet)

O contraste estático é o que realmente importa e ele geralmente fica na casa de 1.000:1 ou próximo de 5.000:1. Claro, quanto maior a taxa de contraste, melhor será o resultado no seu jogo, portanto vale a pena optar pelo mais elevado (mas fique ligado nos demais detalhes do display).

Temos ainda a questão da retroiluminação. Afinal, vale a pena optar pelo LED ou pela lâmpada fluorescente (CCFL)? Deixando de lado a questão dos monitores profissionais (portanto não vamos falar de WCG-CCFL e de LED RGB), novamente temos vantagens e desvantagens em cada tecnologia.

É difícil encontrar monitores com CCFL, mas os que são ofertados geralmente possuem iluminação uniforme e raramente apresentam problemas de vazamento de luz. Já os displays com retroiluminação de LED tendem a apresentar brancos mais fortes, métodos mais eficientes e menor consumo energético.

As duas tecnologias cobrem aproximadamente 70% da gama de cores, mas a CCFL geralmente leva vantagem (vale lembrar que muito disso depende da marca e modelo em questão, portanto não vale levar tal número tão a sério, sendo sempre interessante consultar as especificações e análises).

(Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

Para finalizar, vale comentar sobre o revestimento. Aqui, temos dois tipos de monitores: anti-glare e glossy. O primeiro é aquele que tem uma superfície pouco reflexiva, o que garante bons resultados em quase todos os ambientes. Já o glossy é o revestimento que adiciona uma proteção à tela e garante cores mais vivas, sendo recomendado apenas para ambientes escuros, por ser muito reflexivo.

Qual devo escolher?

Bom, dito tudo isso, você deve ter percebido que não é nada fácil escolher um monitor. A verdade é que nem todos precisam de displays tão eficientes em todos os pontos citados, afinal, estamos falando de uma jogatina séria, e um produto que consiga garantir respostas rápidas já pode ajudar o suficiente.

Nossa principal dica é: não confie apenas nas especificações e na reputação das marcas. Um monitor realmente eficiente para jogos não vai ser barato, mas, se você precisa de um produto com alto desempenho, então o investimento será recompensado. Novamente, recomendamos uma consulta ao site Display Lag para conferir diversos testes e especificações. Esperamos que as dicas tenham sido úteis. Até a próxima!

Cupons de desconto TecMundo: