Volkswagen começa a reciclar baterias de carros elétricos

1 min de leitura
Imagem de: Volkswagen começa a reciclar baterias de carros elétricos
Imagem: Volkswagen
Avatar do autor

No final do mês passado (29), a Volkswagen inaugurou em Salzgitter, na Alemanha, sua primeira instalação destinada à reciclagem de baterias de veículos elétricos, que aposta em uma taxa de recuperação de mais de 90% em matérias-primas como lítio, níquel, manganês e cobalto em um circuito fechado, além de alumínio, cobre e plásticos.

O projeto-piloto atende não apenas à clássica questão sobre o destino das baterias de carros elétricos, como aponta uma alternativa ao descarte que pode tornar a indústria de mobilidade elétrica cada vez mais circular e sustentável, acrescentando o atributo “reciclável” às características “ecológico” e “silencioso” dos carros do futuro.

O grande diferencial da fábrica da Volkswagen em Salzgitter é que ela irá reciclar somente baterias que não podem mais ser usadas para outros fins. Antes de ser reciclada, cada bateria será submetida a uma análise que determinará seu potencial para ter uma segunda vida em sistemas móveis de armazenamento de energia.

Como é feita a reciclagem das baterias de carros elétricos?

"Pó preto" e substâncias individuais obtidos por processos hidrometalúrgicos (Fonte: Volkswagen/Divulgação)"Pó preto" e substâncias individuais obtidos por processos hidrometalúrgicos (Fonte: Volkswagen/Divulgação)Fonte:  Volkswagen 

O novo processo de reciclagem da Volkswagen não demanda fusão intensiva em altos-fornos, que acabam demandando um alto consumo de energia. Na reciclagem feita em Salzgitter, os sistemas de baterias usadas são entregues totalmente descarregados e desmontados à fábrica, e em seguida suas peças individuais são moídas em grânulos no triturador e depois secadas.

Além de produzir alumínio, cobre e plásticos reciclados, o processo de moagem obterá um precioso “pó preto”, contendo lítio, níquel, manganês, cobalto e grafite. “Os componentes essenciais das células de bateria antigas podem ser usados para produzir novo material catódico", explica o chefe de partamento Mark Möller, no site da empresa.

Por enquanto, a fábrica foi projetada para reciclar até 3,6 mil sistemas de bateria por ano, o equivalente a mais de 1,6 mil toneladas, mas o aumento da produção e venda de veículos elétricos certamente irá elevar drasticamente esses números.